16 novembro, 2015

Deus não tem nada a ver com interpretações errôneas

"O Buda falou suavemente: 

"Uma vez que uma pessoa é pega pela crença em uma doutrina, a pessoa perde a liberdade". 

Quando alguém se torna dogmático, a pessoa acredita que a sua doutrina é a única verdadeira e que todas as outras doutrinas são heresia. Disputas e conflitos surgem de todos os pontos de vista estreitos. Elas podem se estender indefinidamente, perdendo um tempo precioso e às vezes até levando a guerra. Apego a ideias é o maior impedimento para o caminho espiritual. Visões limitadas e estreitas, tornam-se tão enredados que não é mais possível deixar a porta aberta da verdade.¨ 

Thich Nhat Hanh

02 novembro, 2015

Por que especular sobre o depois da morte?


Image result for budismo zen enso

Todos os professores se deparam com a pergunta sobre reencarnação x renascimento. Eu sempre achei uma cilada responder essa pergunta. Quanto mais se responde mais enrolado fica. E poucos conseguem dar uma resposta que seja razoável e simples ao mesmo tempo. Entender implica em convicção. Até mesmo para o budista não convicto é difícil entender o que acontece depois da morte física, mas para o não convicto é mais confuso. Por isso a interpretação espirita ou hinduísta é sempre um ponto de partida. Esquecer comparações ou referencias é um ponto importante para responder essa questão. Pessoalmente, prefiro não responder. Não há necessidade de especular sobre o depois da morte. Deveríamos nos concentrar em viver essa vida como única e não pensar que teremos outras chances de voltar e continuar. Como diz o tema desse blog: "Esse momento é sua única vida." Aproveite bem, agora. O depois vc. constrói agora com responsabilidade, mas sem viver agora o depois será incerto.

Eis mais uma tentativa de resposta:

Aluno – Então existe reencarnação?

Monge Genshô – De quem? Se não existe um eu como é que existe reencarnação? Se memórias não permanecem, como é que existe? Reencarnação de que? O quê reencarnaria?

Reencarnação é uma palavra que não serve para o budismo, porque ela carrega dentro de si o significado de que um eu repete ou carrega algo para uma nova vida, ganha uma nova carne. Se nós dizemos que não há almas, espíritos ou coisas que o valham e que as memórias locais cessam com a falência de um sistema nervoso central, então o que há para renascer? Só há uma coisa que resta: os impulsos, aquilo que nós chamamos de carma, o movimento do universo. Este movimento pode produzir identidades em novos seres. Então é o carma que produz manifestações, não são as manifestações que carregam o carma.

Essa noção é do espiritismo, há um espírito que carrega uma mochila de carma e vai ganhando corpos novos, e daí vem o conceito de missão, de resgatar, de ir em determinada direção, uma evolução, um progresso permanente. Mas o budismo não tem sequer essa ideia de progresso permanente porque tanto você pode andar para frente como para trás. É fácil você destruir sua vida. Se você quiser você nasce em determinadas condições, mas se você começa a fumar crack vai acabar deitado numa sarjeta se transformando em quase um animal. Pode acontecer isso. Então, você pode andar para trás. E também os universos são cíclicos. Para o budismo, tudo é cíclico. Nada é permanente. Nada vai durar para sempre, nem a humanidade, nem essa terra, nem o planeta, nem o sistema solar, nem este universo.

11 setembro, 2015

Livro: Como Domar um Elefante

Resultado de imagem para como domar um elefante

1. Use a sua mão não dominante

2. Não deixe vestígios
3. Cacoetes de linguagem
4. Aprecie suas mãos
5. Ao comer, apenas coma
6. Elogios verdadeiros
7. Atenção plena da postura
8. Gratidão ao final do dia
9. Escute os sons
10. Quando toca o telefone
11. Toque amoroso
12. Esperando
13. Jejum de mídias
14. Olhar amoroso
15. Boa ação em segredo
16. Só três respirações
17. Cruzar portas
18. Repare nas árvores
19. Descanse as mãos
20. Diga “sim”
21. Procure a cor azul
22. A sola dos pés
23. Espaço vazio
24. Uma garfada de cada vez
25. Desejos infinitos
26. Estude o sofrimento
27. Andar de um jeito bobo
28. Água
29. Olhe para cima!
30. Definir e defender
31. Repare nos cheiros
32. Esta pessoa pode morrer hoje
33. Quente e frio
34. A Grande Terra sob os pés
35. Observe a aversão
36. Tem coisa passando despercebida?
37. O vento
38. Escute como uma esponja
39. Apreciar
40. Sinais de envelhecimento
41. Chegue na hora
42. Adiar, enrolar, deixar para depois
43. A língua
44. Impaciência
45. Ansiedade
46. Dirigir com atenção consciente
47. Reflita profundamente sobre a sua comida
48. A luz
49. O estômago
50. Fique consciente do seu centro
51. Bondade amorosa para com o corpo
52. Sorria
53. Deixe melhor do que encontrou
Começando a praticar a meditação sentada

28 agosto, 2015

Porque toma remédio se não está doente?


Ninguém busca o médico se não está doente. Alguns tomam remédios sem prescrição ou por conta própria. Ninguém vai ao hospital se não está doente ou para visitar doentes. Igrejas, templos, mosteiros, sinagogas, etc, são como hospitais. Lá só podemos encontrar doentes que buscam alivio para sua dor ou sofrimento. Quem não está doente não deveria ir a esses lugares. Mas como saber se minha mente é saudável? Descubra isso rápido pois não faz bem tomar remédio sem necessidade ou ir ao hospital por ir.

30 maio, 2015

Ser ateu não é crime



Band é punida porque Datena insiste em falar que bandido não tem Deus no coração. Que mata porque é ateu e que deveria ser tratado da mesma maneira que age. Datena não conhece bandido. Se conhecesse saberia que eles temem a Deus e até rezam, pedem proteção antes de sair para fazer suas malvadezas. A questão é associar o ateu aquele que faz o mal. Há gente má em todas as religiões e também naqueles que não assumem nenhuma religião. O próprio Datena que enche a boca para falar de quem deve e quem não deve ser punido também deve ter feito suas maldades nessa vida e ainda deve fazer. "Ter Deus no coração",  como ele diz, ou na boca como se vê com mais freqüência, não é nenhuma garantia contra o crime. corrupção, ódio, racismo, homofobia, ou qualquer crime, assim como não crer na existência de um deus não é pré-requisito para o crime.

Mas a punição foi mostrar um vídeo onde se diz que o Brasil é um Estado laico e portanto não se faz distinção de religião. Parece que mesmo com esse vídeo. Datena continua a insistir que tem razão no sua maneira de pensar. É aquela pessoa que diz: "Eu penso assim, pronto, acabou. Não vou mudar. Eu acho que estou certo. Se me expressei mal, todo bem. Só que...."

Pessoas assim deveriam parar de palavrear sobre Deus e pô-lo não só no coração, na mente, mas nos atos.

09 maio, 2015

Livro: Dojo e seus Significados


Existe duas faces no caráter do povo japonês. Uma é a externa. A que deve ser mostrada para todos. Uma face de correção e de exemplo para todos. A outra é a interna que só se mostra aos mais íntimos. Turistas e não falantes de japonês raramente verão a face interna dos japoneses. Por isso eles tem um conceito tão bom externamente e são considerados uma cultura que serve de exemplo, mas isso é da porta para fora. Da porta para dentro de casa é outra história e mesmo os japoneses são tão imperfeitos como qualquer outra cultura. Ali vamos encontrar maridos machistas que  batem em esposas, alcoólatras, homens casados, com amantes e filhos fora do casamento. Pequenos e grandes delitos ocultados pela face interna.

A vida no Dojo deve ser de muito esforço em busca da perfeição. Deve ser de respeito e correção. O sensei saberá ser duro e firme com seus alunos para levá-los ao adestramento necessário que honre a tradição.

A vida no dojo é com todos e jamais sozinho. Em dias de treinamento intensivo vive-se e morre-se no dojo. Todos treinam juntos, dormem no chão e comem juntos.





21 abril, 2015

Livro: O Homem que Sabe

Eu já diria o "Homem que não sabe que é homem." Ou  "O homem  que não sabe que ainda é animal." Mas essas considerações a autora já faz no texto.

03 abril, 2015

Passos para Enfraquecer o Ego


 Dominar o ego é um equivoco. Não deve haver esse tipo de relação de dominação. Ok, vc. até pode achar que "o ego tá dominado", mas não passará de uma ilusão. O ego é inerente a qualquer tipo de domínio. Ele pode ser "enfraquecido", esse seria o termo mais correto. Enfraquecido ele não exercerá tanto "domínio" sobre o indivíduo. É como não dar importância demasiada as coisas que acontecem pura e simplesmente para chamar a atenção e se fazer visível. Um troll por exemplo: cria uma situação que vai gerar discussões intermináveis apenas para se comprazer por ter sido o autor da celeuma. Alguém te xinga nas redes sociais apenas para ver como vc. responde. Se vc. dá atenção, então o processo continua, sem limites. Assim é o ego, se lhe damos atenção "ele" fica contente e continua a nos trollar. Se o ignoramos, ele perde força.

De resto as dicas acima são pertinentes, mas sem exercício não haverá resultado.

22 fevereiro, 2015

Zen “Casca Dura” ou “Zen Light”?



O zen japonês segue três pilares: Ele é xamânico, imperial e militar. Essas são caracteristicas da cultura japonesa incorporadas à prática e as cerimônias.

O zen mais light por ironia é o aquele que se originou da vertente chamada Rinzai. Com fama de ser o mais rigoroso. Mas o Rinzai hoje já se fundiu à Escola Soto, pelo menos no Japão.

O monge TNT, é um dos que se dedicou a difundir essa forma mais branda, mais amável de tratar o praticante de meditação e do zen.

Na minha Escola segue-se o exemplo de Boddhidharma. Nenhuma conversa, nenhum estudo de textos ou sutras. Apenas a experiência pela experiência é validada. O resto são distrações que podem retardar o acesso ao Despertar.

Cada um deve buscar o estilo mais próximo do seu temperamento e afinidades. Experimentar ambos os estilos é uma boa forma de saber isso.

De qualquer forma não existe nada fácil no Caminho. Ele pode ser suave ou duro só depende de quem o faz. E quem o faz é você.


16 fevereiro, 2015

Nevasca no Mosteiro

Providence Zen Center

Mosteiro de Diamond Hill -USA
Parece que previ que esse ano não seria uma boa ideia ir ao retiro. Eu simplesmente não chegaria lá. Ou chegaria com muito custo, atrasos, cancelamento de voo, etc. Claro, seria o caminho mais difícil, bem como gosto, mas não estava disposta dessa vez. Todavia, quando lá fui nunca vi tanta neve. Teríamos muito trabalho no "samu", tirando neve do caminho, da varanda e dos telhados. Esse talvez terá sido o melhor retiro de todos os tempos.

01 fevereiro, 2015

O Caminho da Sabedoria

Tive algumas más experiências ao longo do Caminho. Muitos maus exemplos vindos de quem eu não esperava, mas humanamente possível porque seres incompletos fazem muitos erros. Se aprendem com eles e se renovam, amadurecem são perdoáveis. Se persistem nos erros se espera que o tempo lhes ensine da maneira menos dura. Sabedoria é a capacidade de ver a tudo e a todos da mesma forma e mesmo assim de forma diferente. É a forma mais justa de se agir. Nem sempre agrada a todos e nem sempre é compreendida. Na sabedoria não existe o eu, a certeza, o ter razão. Existe a harmonia de ambas as partes que cedem pelo todo.

Eu buscava no meu caminho sabedoria, mas não encontrei. Só encontrei pessoas disputando posições, lugares e títulos. Com o tempo isso criou em mim uma certa aversão que me afasta de certos lugares e pessoas. Mas eu reconheço que minha aversão também é uma fraqueza e tento ir contra ela.
Se ela me imobiliza eu tento sair da zona de conforto. por mais difícil que isso seja com tempo e com os anos passando, tentar é a única saída. Desistir é uma saída fácil e daria a vitória a pequeno eu. 

14 janeiro, 2015

O Papa não entende o Espírito Zen

Em recente homilia o Papa resolveu cutucar o Zen a Meditação e a Yoga. E para não ficar só no quintal alheio colocou no pacote o catecismo. O Papa disse nesse sermão que tais métodos não nos libertam do sofrimento.   Arrematando ele disse que só o Espírito Santo pode nos libertar do sofrimento. É verdade. Eu acredito, por experiência própria, que o Espírito Santo pode nós libertar do sofrimento, mas tiraria o "só" da frase.

Primeiro, vê-se que o Papa não entende nada do Zen, nem da Yoga e espera-se que de catecismo ele entenda. Pior, o Papa que, segundo reza a tradição, é escolhido pelo Espírito Santo me deixou com a pulga atrás da orelha. Será que ele teve a experiência do Espírito Santo? Se tivesse não falaria tal bobagem. Mas ele pode ter tido a experiência do ES e não ter tido a experiência do Zen nem da Yoga.

É compreensível, se ele estiver tentando afastar os fiéis da tentação de trilhar outras formas de chegar ao Espírito Santo. Se é uma reserva de mercado, como fazem os médicos com a acupuntura. Embora isso nem sempre funcione.

O Zen e a Yoga podem sim nos levar ao encontro de algo que se assemelhe ao ES.
Todavia, não chamamos essa experiência de Espírito Santo. 

Ademais não devemos dizer que algo funciona ou não funciona sem antes testar duradouramente em nós mesmos. Não sei se o Papa já fez meditação ou yoga. Se fez talvez não tenha feito o suficiente para chegar  à liberação do sofrimento.

O Papa pode estar apenas mandando um recado para aqueles que se dizem católicos e fazem mil e uma práticas em outros lugares. Se vc. é católico seja só católico. Se vc. é católico confie no método da sua Igreja e só nele. Confie no ES. Essa deve ser a mensagem, mas se é só isso porque não ser claro e direto.

O mínimo que ele poderia dizer é que respeita esses caminhos, embora não acredite neles, e que o cristão católico já tem na sua religião o ES e não precisa ir buscá-lo no zen, na meditação ou na yoga. Seria mais honesto e respeitoso. 

O Zen pode não servir ao Papa, mas ele serve a muitas pessoas não católicas.

07 janeiro, 2015

Os perigos de revelar sua opção religiosa

Revelar sua religião é perigoso e revelar a sua não opção religião é mais perigoso ainda. A interferência na vida das pessoas é cada vez maior. Dirão que a culpa é das redes sociais que abriram espaço para essa intromissão insuportável. Pode ser. Mas esse tipo de controle sempre existiu em menor ou maior escala. Localizado em lugarejos ou travestido de outro modo. 

O fundamental do fundamentalismo é que se você não está comigo está contra mim. Se não pertence e não traz dinheiro para mim não pode existir em paz.

O que me motivou a escrever esse artigo não foi as ações de grupos terroristas que se dizem religiosos e defensores da tradição e da religião, mas a leitura de comentários em um vídeo onde um professor era entrevistado. Lá foram alguns a dizer que o Zen não é budismo e outros a dizer que aquele aquela seita defendida por seu militante é que não era budista. E por ai começaram as ofensas e bate boca com palavras bem fedorentas a serem vomitadas nos seus comentários.

Com a proliferação cada vez maior de religiões que permitem a perseguição passamos a ver igrejas sendo incendiadas, estátuas sendo quebradas e pessoas sendo mortas apenas por pertencer ou praticar em uma religião oposta. Não que isso seja novo. Sempre existiu. Buda foi perseguido por competir com os brâmanes na Índia. Uma questão de dinheiro e não de religião levou-o a mudar-se para o Nepal. Mas agora nós podemos ver com mais frequência e podemos saber onde e como acontece.

Alguém pode dizer que nunca na história da humanidade tivemos tanta opressão religiosa ou falta de liberdade para nos expressarmos.

Mas quando tivemos liberdade? Alguns tem sorte de não viver em países onde a opressão e ausência de liberdade são permanentes.

Até aqui só se falou em problemas para quem assume uma religião, mas quem não assume ou pior se diz ateu ai também não está numa posição segura. Há constantes grupos militantes religiosos que perseguem quem se declara ateu. Nesse caso é melhor usar o recurso da mentira útil para se proteger. Você diz ter alguma religião apenas para não ser importunado por aqueles que acham imperdoável alguém não ter necessidade de Deus.

O que todas essas ações fazem pode ser um tiro no pé. Todo esse terrorismo só afasta cada vez mais novas gerações de qualquer tipo de religião. Não significa que as pessoas serão ateias, mas elas não irão querer pertencer a nenhuma instituição religiosa. Isso ao meu ver pode ser um santo remédio.

Já grupos ou pessoas sob má influência que matam em nome de Deus, Alá ou Maomé não podem ser considerados defensores de nenhuma religião. São apenas criminosos doentes.