24 julho, 2013

As Três Transmissões de Buda a Mahakashyapa


1.Certa manhã Buda sentou em frente a uma Pagoda.  Ali estavam reunidos  muitos discípulos que vieram de lugares distantes e de perto para ouvir o Darma do Buda.

Todos esperavam que ele começasse a falar, mas Buda não abriu a boca.

Nas fileiras da frente estavam os monges e discípulos mais velhos, entre eles muitos monges veneráveis.

Os monges mais novos e os noviços sentavam-se distantes das primeiras fileiras ou no final da assembleia

Mahakashyapa chegou e passou na frente do Buda.

Embora ele fosse mais velho, ele só tinha se tornado monge há pouco tempo, então todo mundo se perguntou se era correto que ele passasse na frente do Buda.

Mas quando o Buda o viu, ele saiu do seu lugar e deixou Mahakashyapa sentar-se em sua almofada.
Todos ficaram surpresos e perplexos.

Buda quis demonstrar com essa atitude a equanimidade  da natureza-darma.


2. Buda estava no Pico dos Abutres. Mais de mil discípulos estavam reunidos para ouvi-lo, mas ele não abriu a boca. Depois de alguns minutos de silêncio, ele ergueu para o alto uma flor, em frente aos discípulos. Ninguém entendeu. Apenas Mahakashyapa sorriu.

Então Buda disse: "Eu transmito meu Verdadeiro Darma para você."


3. Buda morreu quando tinha 80 anos. Na ocasião muitos de seus discípulos se perguntaram:

"Por que Buda morreu?"
"Por que ele não viveu mais tempo?
"Isso não é justo."

Entretanto, eles não podiam iniciar a cerimonia de cremação sem a presença do grande discípulo de Buda, Mahakashyapa. Eles o esperaram ansiosamente por sete dias até que ele chegou.

A madeira já estava montada para a pira do funeral e no topo dela, no caixão de ouro, estava o corpo do Buda.

Percebendo que todos estavam ainda tristes e confusos, Mahakashyapa, se prostrou três vezes em frente a pira, andou três vezes em volta dela no sentido do relógio e prostrou-se em frente dela mais três vezes.

Depois da última prostração houve um grande estrondo, como um trovão e os pés do Buda apareceram para fora do caixão. Todos ficaram chocados e imediatamente entenderam esse ensinamento:

Apenas o corpo do Buda morreu, mas o verdadeiro Buda nunca morre.


Mestre Zen Seung Sahn. In: The Whole World is Single Flower. Trad. Jeane Dalbo

Sem comentários: