28 abril, 2013

Quanto de Atenção o Professor deve dar ao Aluno

 

Sei por experiência própria o quanto é estimulante quando o professor fala comigo. Mas há professores que não se comunicam com seus alunos. O termo 'dar atenção' parece melindroso, mas às vezes uma pequena atenção é transformadora no comportamento do aluno.  Demasiada atenção em público pode trazer problemas na sangha. Também já tive essa experiência de ter muita atenção e gerar mal estar nos demais. Mas eu não tinha a percepção e nem coragem de chegar no professor e dizer:"Isso não está certo." Com o tempo ambos os lados devem aprender qual é seu lugar.
 
Vejo que professores muito conhecidos, muitas vezes, ignoram alunos "invisíveis" enquanto andam de braços dados com outros que podem trazer algum retorno para a sanga. A atenção que o professor dá ou não dá pode ser decisiva no esforço que o aluno fará para ajudar a si mesmo e a sua comunidade. Um aluno "invisível" é tão importante para a sanga quanto aquele que doa mais dinheiro, ou doa uma casa, um terreno. Todos fazem parte da comunidade a seu modo e ignorá-los pode trazer um sentimento de insatisfação e abandono.
 
Já vi gente mudando de sanga e de tradição por não suportar essa não-comunicação. Há tantos meios de se comunicar, até sem estar presente. Os professores precisam se adaptar a esses meios e tirar o melhor proveito deles e o aluno não deve esperar que o professor vá estar 24 horas disponível para atendê-lo.

Na verdade alunos "normais" pouco doam à sanga financeiramente. Quem mais doa são simpatizantes. São eles que controem templos e centros zen e compram terrenos ou casas para servir de lugar de prática. Então se a política do professor for de buscar simpatizantes que tragam benefício a todos os praticantes isso não deve ser mal visto.

25 abril, 2013

Intersendo

Foto minha: Central Park River Side. Garota treinando futebol



Interrelationship

You are me, and I am you.
Isn't it obvious that we "inter-are"?
You cultivate the flower in yourself,
so that I will be beautiful.
I transform the garbage in myself,
so that you will not have to suffer.

I support you;
you support me.
I am in this world to offer you peace;
you are in this world to bring me joy.

- Thich Nhat Hanh

(From "Call Me by My True Names: 

The Collected Poems of Thich Nhat Hanh," Parallax Press)


Intersendo

Você está em mim, e eu sou você.
Não é óbvio que "inter-somos"?
Você cultiva a flor em si mesmo,
para que eu possa ser bonito.
Eu transformo o lixo em mim mesmo,
de modo que você não terá que sofrer.

Eu ajudo você;
você me ajuda.
Eu estou neste mundo para oferecer-te a paz;
você está neste mundo para me trazer alegria.

- Thich Nhat Hanh

(De "Chame-me por meus verdadeiros nomes

The Collected Poems de Thich Nhat Hanh," Parallax Press)

20 abril, 2013

Novo Mestre do Dharma




Nesse retiro tivemos duas transmisões. Uma para Mestre Zen e outra para Mestre do Dharma,JDPN.

A tradicional cerimonia de Inka (permissão para ensinar) foi feita para uma pessoa que entrevistei no inicio do ano, Barry Briggs. Já imaginava que poderia ser ele,embora só os cinco mestres que o avaliam é que sabem previamente e os demais só ficam sabendo na hora da cerimonia que consiste no Combate do Dharma. O postulante responde algumas perguntas feitas pela comunidade de praticantes ali presentes. Para Barry foi determinado que ele deveria responder 39 perguntas. As respostas são no estilo dos koans, mas não se deve perguntar koans ao postulante. Enquanto Barry respondia os mestres que o avaliavam faziam anotações para depois confirmar ou não a Inka.

Qualquer um pode se apresentar, fazer as reverencias e sentar na almofada em frente ao Barry e perguntar o que quiser quantas vezes quiser.

Eu também fui testá-lo. Disse a ele:

J-Eu acabei de voltar do Kyol Che. Algumas pessoas disseram que gostaram do meu sorriso, mas eu não consigo ver meu próprio sorriso. Vc. poderia mostra-lo para mim.
Barry- Qual a cor do assoalho?
J-Amarelo claro!
/\

Depois o Barry recebeu o certificado,o bastão e o kasa vermelho de JDPSN e fez seu primeiro discurso do Dharma. Congratulações ao Barry.

Barry Interview

19 abril, 2013

Antes e Depois do Retiro


Duas semanas de retiro mais uma semana em N.Y e foram-se sete quilos do meu corpo. Em 2009 andei mais de 700 km pela Espanha durante 31 dias (Caminho de Santiago) perdi reles quatro quilos. tinha muita oferta de comida? Nem tanto, mas eu podia comer quando quisesse. No retiro só podemos comer três vezes ao dia. A comida é sempre a mesma em cada refeição. Tenho saído dos últimos retiros cambaleando. Sentindo-me fraca. Preciso me cuidar para não cair quando tomo banho. Um descuido, como aconteceu no ano passado me custou cinco meses para recuperar. Nesse retiro eu nem fazia todas as prostrações por conta da tendinite que persiste no meu pulso. Mesmo assim não sentia muita fome. No final do retiro tem três dias de festa e cerimonias. Muita comida, muito falação. Fico exausta. Não conseguia comer muito. O retiro me nutriu bastante. No segundo dia em N.Y começou um resfriado com tosse e febre e passei mais tempo dentro de casa que passeando. Então hoje fui me pesar e tenho menos sete quilos. Por um lado é bom, mas ainda me sinto fraca. Só que dessa vez quero manter esse peso. Normalmente é tão difícil perder sete quilos em três semanas. Vai levar alguns dias até me recuperar.

É visível como ficamos depois do retiro. Há quem não mude na aparência, mas aqueles que mais aproveitam o retiro mostram na cara como o aproveitaram. Tudo brilha:olhos,pele. A pessoa parece até que remoça (palavra antiga). O brilho da pratica aparece. 

Muitas vezes vi pessoas se incomodarem com o brilho alheio. Pessoas que não tentam brilhar por si mesmas e ficam mal com o brilho dos outros. O melhor a dizer é:"Não olhe para o outro. Olhe para si mesmo." Não se compare. Não tome conhecimento. Pois, o trabalho é de cada um. É individual. Se um não trabalha não pode reclamar de quem trabalha. Mas sempre tem quem reclame. Eu não ligo.

Depois do retiro algumas pessoas disseram que meu sorriso estava muito bonito. Não saí daqui até o outro lado do oceano para perder tempo. Buda já dizia que o tempo é curto e que precisamos investigar nós mesmos muito de perto.


17 abril, 2013

O Primeiro Aluno na América



Mestre Zen Wu Bong (Jacob Perl), diretor regional para a Escola Zen Kwan Um na Europa, faleceu há poucas horas de um ataque cardíaco.

Wu Bong Soen Sa foi o primeiro aluno ocidental do Mestre Zen Seung Sahn (em 1972) e dedicou o resto de sua vida a praticar e ensinar o dharma.

Ele ajudou o Mestre Zen Seung Sahn no estabelecimento da Escola Zen Kwan Um na Polônia, em 1978. Em 1984 ele recebeu Inka (autorização para ensinar) e começou a ensinar regularmente nos Estados Unidos e na Europa. Soen Sa Nim formou-se na Universidade de Brown com uma licenciatura em matemática e tem quarto grau faixa preta em Gum Shim Do, uma arte coreana de esgrima. Em 1993, Soen Sa Nim recebeu a transmissão do Dharma do Mestre Zen Seung Sahn. Em 1995, ele co-fundou a Paris Zen Center. Nos últimos anos, ele se tornou um monge e dividiu seu tempo entre a Europa e Coreia do Sul


Está semana em visita ao Centro Zen de Paris durante um retiro de três dias ele voltou para casa.

Por favor, cante Namu Amita Bul por Mestre Zen Wu Bong, ou realize a prática apropriada em sua tradição. Obrigada.

16 abril, 2013

Existência Independente.


Por que as pessoas se preocupam tanto com a existência de Deus ou não. Quando deixei de pensar no assunto tive um alívio. Essas são questões exclusivamente de apego. Nossa existência não depende da crença em um Deus. Nossa existência é independente. Independente é uma palavra muito importante nesse contexto. Se não formos independentes jamais conseguiremos nos conectar com nossa "verdadeira natureza", seja lá o nome que ela tenha nesse mundo.