22 março, 2013

Praticando em Silêncio.

As pessoas que sabem usar o silêncio a seu favor vivem melhor. Vejo com frequência a minha volta pessoas que não administram bem o silêncio. E vão envelhecendo e ficando sem ter o que fazer pois suas vidas foram construídas sob alicerces barulhentos. Seja a TV, o rádio, as conversas e discussões.
Quando então nos aposentamos ficamos perdidos, caso não haja um planejamento, de como ocupar o tempo ocioso da aposentadoria. Não é pra menos que muitas pessoas descobrem o budismo ou uma outra pratica religiosa e começam a se dedicar mais a ela na maturidade ou nesse período de aposentados de sua vida profissional.

O zen tem por característica o silêncio, não porque seja uma imposição vinda de alguma tradição milenar ou cultural, mas porque o próprio Buda ao dar sua primeira aula sobre o Zen o fez em silêncio. Quando Buda começou a ensinar o Zen ele apenas o fez mostrando uma flor a seus discípulos. Apenas um, o mais humilde e iletrado deles entendeu esse "ensinamentos sem palavras" e a ele Buda disse: "Para todos vocês eu ensinei o que pode ser dito e para Mahakashiapa eu ensinei o que não pode ser dito."  Isso não significa que Buda transmitiu a Mahakashiapa algum segredo, mas sim um ensinamento que naquele momento não seria entendido pelos demais e que só com o tempo viria a ser praticado.

Poucas pessoas entendem o poder do silêncio e a maioria o teme. Eu que sou uma pessoa muito silenciosa e fui a maior parte de minha vida por timidez e introspecção sei quanto o meu silencio incomodava e ainda incomoda as pessoas, mas também sei o quanto me beneficio dele sobretudo na prática do zen. O que é extremente difícil para muitos na prática para mim acabou sendo facilitado devido meu longo treinamento na prática compulsória do silêncio.

Enquanto pratico o silêncio do retiro este blog ficará em silêncio de novas pastagens, mas há muitas outras que podem ser lidas aqui mesmo.

2 comentários:

Aline M disse...

Acho que vale a nota de que ler os textos aqui publicados também faz-se em silêncio.

Jeane Dal Bo disse...

Obrigada pelo comentário Aline. em silêncio ou comentando não vejo problema. Seja bem-vinda.