31 dezembro, 2012

Um ano que vem mais desperto.

Pouco tenho a dizer de um ano que quase acaba, mas sempre acaba quando tem que acabar. E quase nem percebo que já acaba pois mal começou e outro já começa.

Alguém disse que todos os dias acabam quando vamos dormir e começam quando acordamos. E quem dorme à tarde tem mais vidas ou quem não dorme, já está morto?

Conjecturas.

O que importa é não estar dormindo acordado.

Algumas vezes a gente se distrai, cochila e o momento nos surpreende com flechas certeiras de susto ou dor.

Se passei o ano sem sustos e com algumas dores que persistem sem solução que eu encontre a solução. E se ainda o acaso me reservar algumas flechas do despertar, agradecerei.  Já aprendi o caminho que se caminha de olhos fechados, de noite ou de dia. Mas isso não me faz melhor só mais sonsa. O que não é bom.

Um mestre zen costumava dizer que a vida fácil e confortável não é um bom caminho para o despertar e nem para a prática e é esse caminho que mais procuramos. O caminho das flores. Aquele que desemboca direto no inferno. Seguirei juntando pedrinhas para não andar no macio e uma lanterna que ilumine o caminho para aqueles que ainda não o encontraram, assim como alguém, algum dia, iluminou o caminho para que eu o encontrasse.

Agradeço a todos que por aqui passaram por acaso ou como leitores do acaso. Que eu possa seguir oferecendo reflexões para despertar as mentes sonolentas e que possamos nos encontrar pelas esquinas do mundo virtual ou real.

Agradeço ainda mais aos amigos e amigas que colaboraram no projeto de entrevistas. Fico feliz pelo resultado e pela oportunidade de inspirar aos que aqui passaram com suas experiências de vida e de prática.

Criem a felicidade que tanto desejam e promovam a paz que tanto clamam.  Não deixem um dia passar sem tentar, sem lembrar de que o despertar se faz momento a momento e não apenas em breves sessões de meditação. Se ainda não começou, comece agora e vá em frente. Boa sorte a todos.

Sem comentários: