15 outubro, 2012

O que é Doença Zen: Sintomas e Cura.

"Um cavalo que é difícil de dominar para um carroça pode ser treinado para passeios. Ouro reluzente pode ser transformado em algo bonito. Sem esforço, nada é realizado. um ditado que diz que "Estar frequentemente doente não é nada para se preocupar. O que deveria nos preocupar, de fato, é a ausência de doença." Ditado chinês.




A primeira vez que ouvi o termo "zen sickness" fiquei meio chocada. Pelos sintomas eu achava que já tinha tido essa doença. Volta e meia percebo-a em outras pessoas da forma mais leve com apego ao que é certo.

Na formas mais graves acontecem alucinações. A pessoa para de comer para praticar mais e mais e fica doente fisicamente quando não surta mentalmente. Há um caso famoso no universo zen. O caso do monge Hakuin.

A Internet e a facilidade de acesso e difusão de posições e tagarelice só contribui para piorar o estado do doente zen ou pode ajudá-lo? Esta ainda é uma questão a ser depurada.

Já escrevi sobre isso algumas vezes, Para não me repetir colo aqui o texto de um psicólogo e zen budista.

"Problema - mesmo pequeno - é aquele que acomete todos aqueles que começam a praticar alguma coisa que carrega, em seu discurso, uma certa dose de idealismo: as pessoas começam a acreditar muito nele. Acreditar em um ideal não é, em si mesmo, grande mal, e todos sabemos o quanto perder um ideal - um direcionamento, uma expectativa em relação ao futuro - pode abalar as pessoas. Então é melhor que fiquem, os ideais e expectativas. Temperados com um pouco de realismo, esperamos.
Na prática do zen este problema pode ter um nomezinho específico: a doença do zen. Terrível, terrível, e o mais terrível dela é que, como toda boa doença que se preze, o diagnóstico só pode ser feito de fora: o tal indivíduo não percebe. Praticar zen e zazen não é garantia que alguém não vá ser preconceituoso ou raivoso; não é garantia de saber mais que os outros; não é garantia de sabedoria. Infelizmente, não dispomos desta garantia.
Quem é acometido pela doença do zen passa a acreditar demasiado nas palavras do zen e do budismo, e a sutilmente fazer distinções no mundo. Desde os casos mais patentes em que alguém acha que está fazendo a melhor coisa do mundo praticando o zen, e que consequentemente será uma das melhores pessoas - talvez elevada do lodo, digamos - até os mais simples, em que os ideais do budismo passam a regular o que é "bom" ou não, a doença do zen tem um parentesco muito grande com outras doenças similares."
 
Seigaku-Lucas Brandão aluno de Saikawa Roshi.


A sugestão para curar-se da doença zen dada por Lucas Brandão é continuar fazendo zazen.

Então lembrei-me do Dr. Samuel Hahnemann, o pai da homeopatia, cujos princípios básicos são:

Semelhante cura semelhante
Experimente em seres sadios
Medicamento único
Doses mínima

Na homeopatia quanto maior a diluição mais forte é o remédio.

A prática em doses mínimas corre menor risco que em doses exageradas. Tudo que é exagerado foge do controle. Alguém que esteja bem terá menos chance de ficar mal. E alguém que estiver mal pode acentuar seu estado se praticar mesmo que minimamente. Quando optar por uma prática que ela seja única e não experimentar uma, depois outra ou fazer varias práticas. Se fizer zazen faça só zazen. Se fizer mantra só mantra, e assim por diante. Por fim como disse o Lucas zazen cura zazen. Ou seja se fizer zazen em excesso faça menos zazen e tudo deverá se ajustar, se equilibrar. Não deixe sua vida cotidiana,social ou familiar de lado apenas para praticar. A menos que esteja num mosteiro fazendo um retiro ou em treinamento monástico, sua vida é esse momento e deve ser vivida plenamente agora, sem excessos.




Sem comentários: