10 setembro, 2012

Shobogenzo:Fonte Inesgotável de Dharma.


Shobogenzo é o livro base de estudo do zen soto japonês. Não sei se há uma boa tradução completa ao português. Um aluno do Mestre Tokuda traduziu-o há algum tempo. Estava disponível free mas agora só a venda em e-book. Algumas pessoas já traduziram alguns capítulos. Se você lê em inglês pode aproveitar desse site que coloca todo o livro a disposição online. São mais de 1100 páginas  Bom proveito.

E se lhe calhar traduzir algum capitulo disponibilize-o para o benefício daqueles que não entendem inglês ou japonês.

Já tentei ler algumas vezes, mas não acho um livro do tipo que apenas se lê. Não é bem um livro que recomendaria a iniciantes. Está mais para um livro do tipo que se estuda. Alguns professores buscam nele inspiração para suas palestras. E imagino que em alguns mosteiros no Japão alguns de seus capítulos sejam objeto de estudo. Ademais o professor que buscar nele inspiração jamais ficará sem ter assunto nas suas palestras do dharma pois assunto e inspiração é o que não faltam.Basta pescar uma única frase e tem-se assunto para a vida toda. 


Talvez não seja o tipo de livro que vá atrair um iniciante. Pode até parecer difícil de entender com muitos conceitos teóricos do budismo zen. Dogen era muito intelectual mas também era um poeta e talvez um pouco de simplicidade e depuração tenha lhe faltado. Ele só conseguiu revisar doze dos mais de noventa capítulos, em vida.Mas seus discípulos sempre terão como depura-lo enquanto o estudarem. Eu diria que sobre cada um dos capítulos daria para escrever um livro. Tanto que muitos livros já foram escritos sobre temas encontrados no Shobogenzo. Mas nem todos os capítulos são impalataveis, alguns são até poéticos.


Shoboguenzo significa o dharma transmitido de mente para mente. Quando Buda transmitiu o Dharma a Mahakashyapa a isto também poderíamos chamar de um evento do tipo shobogenzo.
Apesar de Shobogenzo ser uma transmissão sem palavras o que Mestre Dogen deixou foram ensinamentos por escrito. Então, o termo com o qual ele cunhou seu livro sinaliza que talvez ele não tinha para quem transmitir "olho no olho" ou "mente com mente" portanto sua transmissão seria por escrito. Deixando assim uma marca muito caracteristica na Escola que fundou a Soto Zen. Um pouco na contramão do que Bodhidharma pretendia ensinar: O Zen sem palavras que é mais bem representado na técnica dos koans.

Não é uma crítica de forma alguma, apenas uma constatação que pode muito bem estar equivocada já que não sou estudiosa desse livro. Já no Rinzai japonês vê-se a combinação entre o shikantaza (apenas sentar) do Soto com os koans (o zen  sem palavras). Embora o tratamento dado aos koans no rinzai japonês não seja tão sem palavras. Assim como há ramos do Rinzai onde não se utilam os kaons. Há opções para todos os gostos.

Mas os koans também estão presentes no Shobogenzo.


A palavra Sho Bo Gen Zo é composta de quatro kanjis.

Sho-Verdadeiro
Ho (bo) Dharma
Gen- Olho
Zo-Fonte ou depósito


A palavra Shobogenzo  apareceu pela primeira vez no sutra de lótus em chinês -  sessão:"das perguntas e respostas entre Mahabrahman e Buda" e no capítulo 66 da Shobogenzo "A Flor Udanbara" , onde Dogen se  refere a transmissão:


Flor Udumbara. A flor que Buda mostrou a Mahakashyapa.
Só floresce a cada três anos. É usada como metáfora para referir-se
quão difícil é encontrar o Verdadeiro Dharma

Muitos textos referem-se a flor de lótus, mas Mestre Dogen diz que a flor usada por Buda na Transmissão a Mahakashyapa se chama Udumbara.


"O Buda Shakyamuni tomou uma flor de udumbara e balançou-a suavemente entre os dedos. Ninguém entendeu o gesto, apenas Mahakashyapa sorriu. Então o Buda disse:

"Eu tenho os olhos do verdadeiro Dharma, o Tesouro de maravilhoso do Despertar. Agora eu o transmito a você,Mahakashyapa."


Em:  A Flor Udumbara Esse dentre os 96 capítulos, e dentre o que já li, é meu o favorito.

1 comentário:

Rodrigo B. disse...

Obrigado pelo lindo texto. ^^