24 setembro, 2012

Meditação não é Controlar os Pensamentos.




Há muitos textos que se referem a meditação dizendo que meditação é "controlar os pensamentos" ou até "parar de pensar". Não sei quem começou essa história mas para mim esse tipo de conceito é um equivoco. A pratica da meditação vai mostrar que isso não ocorre.

Parar de pensar é possível sim. Mas por alguns minutos ou segundos. Existem técnicas bem simples para obter esse estágio como o uso de uma pergunta: "O que é isso?" por exemplo. Quando você está tagarelando com seus pensamentos você põe a pergunta no meio: "Bla,bla, bla... O que é isso?"  "Bla, bla, bla.... O que é isso?" ....Ou simplesmente contando a respiração ou focando nela também é possível obter momentos vazios entre os bla bla blas.

Com o tempo essas paradas ou voltas ao momento presente que a pergunta proporciona podem criar um espaço vazio entre um pensamento e outro. A pergunta não deve ser respondida.  É como se você dissesse  a si mesmo: "Atenção!". "Volte a esse momento."  Só isso.

O que acontece quando paramos de pensar?

Quando você percebe que não está pensando você vai por força do hábito tentar pensar e ai aquele momento raro se desfaz. Ou você tenta pensar e não consegue pensar e então você pode ficar eufórico ou   com medo de não voltar mais ao "normal" e ai você  tem de volta seus bla, bla, blas. Então seu medo te puxa de volta para o aquilo que você conhece e se sente melhor: o mundo dos pensamentos e das distrações. Nossa zona de conforto está sempre fazendo seu papel muito bem. Na maior parte das vezes você nem percebe que teve esse espaço vazio entre os pensamentos.

Mas saiba que mesmo quando você conseguir "parar de pensar" você ainda estará pensando. O que para é o bla, bla bla do pensamento racional  E o universo não racional se torna acessível. Nele você pode experimentar outro lado do pensamento. Não há como descrever com palavras porque nem bla bla, bla você vai conseguir dizer ou pensar.

Mas nós não vivemos dessa maneira. Pela pouca experiência que tive acho que seria improvável que fosse viável viver desplugado permanentemente de nossos pensamentos. Somente o Buda chegou a esse estado em condições adequadas e num tempo e lugar bem mais favorável que o nosso. Nem é esse o objetivo da meditação. Nós vivemos num mundo pensante e precisamos dos pensamentos no dia-a-dia. Aquela história que você já ouviu muitas vezes: "Quando andar, apenas ande. Quando comer, apenas coma..." Isso é o exercício da atenção plena. Nesse modesto exercício podemos encontrar o não-pensamento. Podemos experimentar essas técnicas com segurança durante um retiro zen budista. E depois levá-la para nosso cotidiano.

Quando alguém busca a meditação para controlar os pensamentos ou deixar de tê-los isso pressupõe que essa pessoa não quer seus pensamentos, que essa pessoa tem algum problema e acha que deixando de pensar vai resolver seu problema. Para deixar de pensar em algo que nos causa dor ou sofrimento precisamos aprender a mudar de foco. O pensamento vem e mudamos o foco para outro assunto ou para a respiração ou para uma pergunta: "O que é isso?" ou para um mantra. Nesse aspecto a meditação é útil. Mas ela não resolve seus conflitos, dores e sofrimento. Ela apenas te ensina uma ferramenta para lidar com o problema. Como um experimento. Você só vai saber se funciona experimentando. Mas quem tem que fazer isso é você. Como? Vendo o que você tem feito no seu dia a dia. Suas ações. Quem faz ou quem busca o sofrimento somos nós. Direta ou indiretamente. Se você não pode resolver agora, você pode amenizar o sofrimento mudando de foco até que o sofrimento perca força sobre você, se dissipe da sua mente ou a situação mude. Você pode prestar mais atenção para evitar cair em novos campos de sofrimento. Às vezes nós insistimos no mesmo erro por que estamos apegados em alguma coisa ou alguém. E sobretudo abandone a masmorra do passado. Nela reside a grande parte dos nossos pesares. Enquanto estivermos presos ao passado ou ansiando por algo que ainda não aconteceu não teremos paz em nossa mente.

Usar a meditação para fugir de algum problema pode não ser uma boa ideia. Você também pode achar que meditando vai  resolver o problema de alguém. Mas o problema dos outros cabe a eles resolverem.

Sim, meditando você pode harmonizar-se com o universo e mudar o mundo a sua volta. Quando sua mente muda o ambiente muda, as pessoas mudam. O universo conspira a seu favor.

A meditação nesse sentido atua como um remédio. Curamos a nós mesmos e todo o universo se beneficia. Mesmo que esse universo tudo não seja exatamente o grande universo. Então ninguém precisa sair por ai querendo concertar o mundo e as pessoas. Basta meditar e a força da meditação é suficiente para curar o mundo. Como isso acontece? Só experimentando na pratica.

E os pensamentos? Deixe-os em paz. Deixe-os virem e irem da sua mente livremente sem prender-se a eles. Quando virem mude o foco para a respiração, ou a pergunta ou o mantra...

Sem comentários: