18 agosto, 2012

A Vida que Costumamos Temer


*Nota: Este texto não é de minha autoria.


"Estudantes romanos de estoicismo eram frequentemente ensinados a praticar aquilo que mais temiam, a fim de experimentar o mundo que eles tinham medo. Como estava lendo Seneca, um dia, me deparei com esta citação:     

"Ponha de lado agora um número de dias durante os quais você vai se contentar com o mais simples dos alimentos, e muito pouco, uma roupa quente e grosseira, e se pergunte: 'É isso que costumamos temer? "

Então comecei a experimentar o meu mais profundo desconhecido: um mês sem tecnologia. No saco de dormir, sem barraca, sem mochila, apenas um cobertor, uma bússola, e algumas necessidades para sobreviver. 


Vinte e oito dias focando em habilidades primitivas, aprendendo a preparar-nos para sobreviver no deserto. Três instrutores nos guiaram através do deserto de Utah, nos ensinando a fazer fogo, usar a bússola para encontrar água, a montar acampamento e a ficar quente em altitudes elevadas.

Minimalismo, em sua raiz, é mais do que
apenas jogar fora tudo o que você possui. Trata-se de aprender a prosperar, não sobreviver, mas prosperar, independentemente das suas circunstâncias. Viver na natureza revela que a felicidade e a satisfação vem de dentro, não de bens materiais

*Traduzido e editado do texto: Vivendo em Cavernas e Combatendo Distrações. Autor Maneesh Sethi"

Sem comentários: