14 julho, 2012

Budistas são ateus?

Essa é uma pergunta que volta e meia e sempre ouvimos em palestras.


O Budismo veio de uma tradição onde a figura de Deus não está presente, embora tenha entidades auxiliares. São as chamados acessórios que todas as religiões tem. A Escola Zen é uma das que tentou limpar mais o cenário desses acessórios, mas de certa forma é inevitável. As pessoas sentem falta de algo para se apoiar. Uma estátua não muda nada para mim, mas para alguém pode ser importante. Entre ter e não ter não há nenhuma diferença. O ponto é: não se agarrar a estátua como uma tábua de salvação. Ela está ali, é matéria, mas também pode me inspirar a me conectar ou me sentir mais forte.


Se Deus não existe na cultura asiática, não significa que os Budistas estejam afirmando que ele não existe. Apenas não faz parte da cultura deles, portanto não se pode dizer que budistas são ateus. Falo de tempos remotos? Talvez, mas hoje asiáticos já sabem da existência de um deus judaico cristão e podem escolher crer ou não nele. Há muitos cristãos ou protestantes na Coreia do Sul, no Japão e na China só cresce. Por lá, é o Budismo que anda em baixa. As pessoas depois da guerra ficaram muito vulneráveis e precisavam acreditar em algo.

Entendo o receio de muitos que se interessam pelo budismo, pois nós viemos de tradições judaica-cristãs e simplesmente jogar no lixo essa ideia de "Deus" pode trazer algum desconforto moral ou emocional. Digo por experiência própria, eu simplesmente não penso mais no assunto. Nem em Buda nem em Deus, apenas não penso.

Isso não significa que os budistas não acreditam em nada. A crença, de certa forma, é também apego e mais atrapalha que ajuda. Não precisa acreditar em alguém para ser budista, nem mesmo em Buda. Precisa como o próprio Buda sugeriu, duvidar. Assim, crença no budismo, está muito mais para dúvida que para certeza.



Sem comentários: