22 maio, 2012

Retiro de Rua

Retiro de rua como o nome diz é feito na rua. Os monges e monjas quando estão em mosteiros, em geral no Japão, costumam sair para peregrinar nas ruas, fazer recitações e pedir doações nas casas ou lojas. Essa prática chama-se takuhatsu (pedir comida com tigelas).

Alguns não gostam dessa prática porque às vezes são molestados ou alguém diz coisas como "Porque não vão trabalhar monges preguiçosos!" Ou jogam água neles.

Não se deve dizer nada. Apenas fazer a reverência e estender a tigela. O chapéu característico serve para que o monge não olhe e não seja visto e assim não emitem opiniões. Qualquer coisa doada deve ser aceita sem opinião.

Alguns ocidentais vão ao Japão e pagam pelo aluguel das vestimentas e do chapéu, assim podem ter a experiência do Takuhatsu. Quem não quer ter a experiência de mendigar?






O Retiro de rua (inventado) é mais parecido ao cotidiano de um mendigo, alguém que vive na rua e precisa procurar por um lugar para dormir, comida, etc.

Não temos esse tipo de retiro na nossa Escola Zen. Ele foi idealizado por integrantes do Peacemaker.

Ter a experiência de um mendigo, perceber como é difícil a vida na rua deve ser interessante. mas vc. vai ter um guia orientando-o grupo. De certa forma vc. estará seguro e não terá uma experiência verdadeira da realidade. Será como olhar de fora, de uma posição mais confortável. Depois vc. volta para casa toma um banho e reflete por alguns dias essa experiência e nada mais acontece. O mundo não muda, ou talvez a intenção seja pôr uma semente na mente dos que fazem o retiro. Fazê-los pensar." Como posso mudar essa situação?" Quem já fez diz valer a pena.

Mesmo antes de essa modalidade de retiro ser criada eu já havia pensado que poderia experimentar viver na rua mesmo que fosse por um dia. Sendo mulher acho mais complicado fazer isso sozinha.

Já passeia algumas noites ao relento e convivi com  pessoas que viviam na rua. Isso sozinha, no inverno. Mas foi porque eu cheguei num lugar e não tinha reservado albergue, então não tinha onde ir ou não sabia onde ir.

Certa vez fiquei na rua em uma cidade na Espanha e quase congelei de frio e noutra na Itália, mas ai tive a companhia de um rapaz que viajava de cidade em cidade de trem, obviamente sem pagar, tipo de penetra no trem. Conversar com ele me distraiu até a estação de trem abrir  para que, nós, e os mendigos, pudéssemos nos aquecer na sala quentinha.

Aqui no Brasil só aconteceu uma vez e acho pouco seguro ficar na rua sozinha à noite, sendo assim um retiro de rua por aqui teria que ser num grupo.





Edições acontecem na Europa e U.S.A mas aqui também já tem. Gostaria de fazer algum dia. Aqui vc. encontra relato de um monge Soto que fez esse tipo de retiro na Suíça e outro relato da edição que aconteceu no Brasil.em 2011 e a edição de 2012. Entrevista de B. Glassman, idealizador dos Retiros de Rua, à Folha.


Sem comentários: