25 maio, 2012

Calça de Meditação

Calça sem a cintura e sem o punho

Minhas incursões na costura chegaram a mais uma tentativa. Fazer uma calça clássica de meditação estilo monástico. Muito usada em nossa Escola Zen. Essas calças chegam a custar mais de $100 doletas, quando feitas na Coreia do Sul. Por isso peguei as medidas de uma que tenho e dos desenhos e tomei coragem de tentar fazer uma. Mas antes de fazer uma num pano bom fiz num pano de chão. Até rimou. Pois é, fiz nesses panos que usamos para limpar o chão. Usei três bolsas (é como a gente chama aqui no sul), de cor cinza azulado, abri as costuras e fiz um molde no papel para depois cortar no pano. O maior problema foi costurar. Essa calça tem três partes distintas e mesmo tendo uma calça de amostra penei para juntar as partes. Ficou um trapo, mas ficou do jeito certo e como não era para ficar perfeito e sim para aprender eu poderia errar a vontade. E pode crer, eu errei bastante, desmanchei, refiz, mas como o pano desfia muito chega a um ponto que fica difícil concertar. Usei elástico na cintura e no punho do pé, mas não ficou bom então troquei por velcro. Também achei que ficou curta. Na próxima que fizer já sei que terá que ser mais longa.Um detalhe importante. Tem que lavar o pano antes para encolher. Pois se fizer sem lavar pode ter uma surpresa depois.

22 maio, 2012

Retiro de Rua

Retiro de rua como o nome diz é feito na rua. Os monges e monjas quando estão em mosteiros, em geral no Japão, costumam sair para peregrinar nas ruas, fazer recitações e pedir doações nas casas ou lojas. Essa prática chama-se takuhatsu (pedir comida com tigelas).

Alguns não gostam dessa prática porque às vezes são molestados ou alguém diz coisas como "Porque não vão trabalhar monges preguiçosos!" Ou jogam água neles.

Não se deve dizer nada. Apenas fazer a reverência e estender a tigela. O chapéu característico serve para que o monge não olhe e não seja visto e assim não emitem opiniões. Qualquer coisa doada deve ser aceita sem opinião.

Alguns ocidentais vão ao Japão e pagam pelo aluguel das vestimentas e do chapéu, assim podem ter a experiência do Takuhatsu. Quem não quer ter a experiência de mendigar?






O Retiro de rua (inventado) é mais parecido ao cotidiano de um mendigo, alguém que vive na rua e precisa procurar por um lugar para dormir, comida, etc.

Não temos esse tipo de retiro na nossa Escola Zen. Ele foi idealizado por integrantes do Peacemaker.

Ter a experiência de um mendigo, perceber como é difícil a vida na rua deve ser interessante. mas vc. vai ter um guia orientando-o grupo. De certa forma vc. estará seguro e não terá uma experiência verdadeira da realidade. Será como olhar de fora, de uma posição mais confortável. Depois vc. volta para casa toma um banho e reflete por alguns dias essa experiência e nada mais acontece. O mundo não muda, ou talvez a intenção seja pôr uma semente na mente dos que fazem o retiro. Fazê-los pensar." Como posso mudar essa situação?" Quem já fez diz valer a pena.

Mesmo antes de essa modalidade de retiro ser criada eu já havia pensado que poderia experimentar viver na rua mesmo que fosse por um dia. Sendo mulher acho mais complicado fazer isso sozinha.

Já passeia algumas noites ao relento e convivi com  pessoas que viviam na rua. Isso sozinha, no inverno. Mas foi porque eu cheguei num lugar e não tinha reservado albergue, então não tinha onde ir ou não sabia onde ir.

Certa vez fiquei na rua em uma cidade na Espanha e quase congelei de frio e noutra na Itália, mas ai tive a companhia de um rapaz que viajava de cidade em cidade de trem, obviamente sem pagar, tipo de penetra no trem. Conversar com ele me distraiu até a estação de trem abrir  para que, nós, e os mendigos, pudéssemos nos aquecer na sala quentinha.

Aqui no Brasil só aconteceu uma vez e acho pouco seguro ficar na rua sozinha à noite, sendo assim um retiro de rua por aqui teria que ser num grupo.





Edições acontecem na Europa e U.S.A mas aqui também já tem. Gostaria de fazer algum dia. Aqui vc. encontra relato de um monge Soto que fez esse tipo de retiro na Suíça e outro relato da edição que aconteceu no Brasil.em 2011 e a edição de 2012. Entrevista de B. Glassman, idealizador dos Retiros de Rua, à Folha.


20 maio, 2012

Aplicativo para Meditar

Se vc. quer sentar várias sessões ou mesmo uma só em meditação sem se preocupar com o relógio uma boa opção é baixar um aplicativo no seu celular que faz o serviço de marcar o inicio e o final de cada sessão.
Há vários por ai dependendo de qual smartphone vc. tem. Eu uso o Meditation Helper. A maioria é gratuito e pode ser baixado na Google Play ou no Itunes. Outros tb. podem ser baixados Zazen Meditation Timer,Meditation Support Timer (este tem o tempo pra med. sentado e andando)

17 maio, 2012

Retiro Solo em Casa.

Você não precisa ir para um mosteiro, montanha ou se embrenhar no mato ou em cavernas para fazer um retiro solo. Ele pode ser feito na sua casa, sem riscos.

Meu primeiro retiro solo foi feita em casa. Na época eu não estava trabalhando e pude fazer seis meses de retiro em meu apartamento. A rotina não era muito rigorosa, mas eu fazia 100 prostrações e depois varias sessões de meditação sentada ao longo do dia. Só saia duas vezes por semana para ir a feira e um dia para tomar um café perto de casa. Foi um período muito bom.




Meu último retiro solo tb. foi em casa e durou 100 dias. Nesse caso eu estava trabalhando e morando com outras pessoas. O mínimo que eu conseguia meditar por dia era 1h30min e o máximo 3 horas, mesmo assim, foi melhor e mais barato que ir para outro país e quem sabe nem conseguir manter-me firme por 100 dias por lá. Enfim, se vc. consegue manter a pratica diária em casa em 1h30 ou 3h por dia para sempre, vc. estará permanentemente em retiro. Em algum momento vc. poderá sentar-se com mais alguém ou num grupo.

13 maio, 2012

Comemoremos o Nascimento de Buda!

A partir deste ano o Segundo Domingo de Maio passa a fazer parte do calendário nacional como o Dia do Nascimento de Buda.

 
Foto K. Grofova- Templo Ki Sang Sa-Coreia do Sul