27 abril, 2012

O que é um Retiro Solo?

Um retiro solo como é conhecido em nossa Escola (Zen Kwan Um) é um retiro solitário. Em geral assistido. Vc. fica em um lugar próximo ao mosteiro ou ao centro zen ou em uma cabana. O tempo de retiro é decido por vc. e seu mestre em conjunto assim como o que vc. fará durante esse tempo. Pode ser de uma semana ou mais. Um retiro solo tradicional costuma durar 100 dias! Mas poucos conseguem ficar 100 dias em retiro solo. São casos excepcionais em geral quem faz esse tipo de retiro são monges, pois eles tem tempo para ficar fora por muito tempo. Pessoas comuns não dispõem de tanto tempo para se ausentar de suas atividades cotidianas, portanto uma semana é o tempo ideal para testar como funciona.

No retiro solo vc. está por sua conta. Não há ninguém para te incentivar nem para vigiar se vc. está fazendo o que se propôs fazer ou se vai tirar uma semana para dormir o dia todo. Portanto é um retiro que exige muita disciplina pessoal. É considerado o retiro mais difícil dentre todos.

Algumas pessoas o fazem ao ar livre, em barracas, cavernas ou lugares sem assistência por sua conta e risco pois os riscos existem principalmente se for um retiro prolongado.

Eu fiz um retiro solo sobre um penhasco a beira mar por uma semana. Foi muito intenso e ariscado. Durante o dia me abrigava do sol sob uma fenda na rocha que parecia uma caverna e a noite não dormia devido aos inúmeros ruídos e pequenas baratinhas do mar que entravam na roupa. O estado intenso de alerta me deixava sem sono. Pude comprovar que não tinha a menor noção do que poderia acontecer. Não avisei ninguém pois não concordariam que eu fizesse. Não levei comida suficiente e fiquei muito fraca. Precisei pedir ajuda a pescadores que vinham diariamente ao costão retirar mariscos para que me resgatassem do lugar para o continente. Eles me levaram de barco e então tomei um ônibus e voltei para casa com cinco quilos a menos.




Retiros a céu aberto são muito ariscados e não recomendo justamente por ter tido essa experiência. Hoje com mais conhecimento e planejamento poderia tentar novamente, mas ainda assim sabendo que poderia ter que desistir se as condições se mostrassem desfavoráveis. Um retiro assim pode levar a riscos de deshidratação, perda de de massa muscular o que nos impede a locomoção e até perda dos sentidos. Se for um lugar muito isolado podemos morrer antes de ter a chance de pedir ajuda.





25 abril, 2012

O que é Retiro Kido?

Um retiro Kido consiste em praticar a repetição de um mantra em geral Kwan Seung Bosal por horas repetindo-o intensamente e muito rapidamente. Andando e fazendo barulho com instrumentos de percussão ou qualquer coisa em que se possa bater e produzir barulho. O objetivo dessa pratica e desconectar-se da mente pensante e provocar uma abertura da mente que não pensa. Kido significa "Caminho do prajna ou energia"

Poucas pessoas conseguem o efeito de desligar a mente pensante. Na verdade quase ninguém sabe que essa pratica produz esse efeito e nem se costuma falar em objetivos quando se trata de alguma pratica. O que alcançar. Nunca se pratica nesses termos. Quem obtém algo obtém quem não obtém não não ficará frustrado porque não teve nenhuma experiência.


Um retiro kido começa com 108 prostrações, recitação do mantra, 30 min de meditação, café da manhã, período de trabalho, mais recitação intercalado-se um período de meditação, um de recitação, almoço e por ai vai até o final do dia, se o retiro for de um dia. Geralmente é de um dia.

Só fiz um Kido por duas horas seguidas. Que é mais intenso que o retiro onde se pratica o mantra por 30 minutos e depois há outras atividades. Em um determinado momento minha mente congelou. Nada se movia, nenhum pensamento, mesmo que eu me esforçasse para pensar algo nada aparecia. Esse evento durou alguns minutos, mas suponho que não seria útil se durasse muito tempo. Eu pareceria um ser de outro mundo ou como alguém catatonico andando por ai sem pensamentos.

Sempre digo às pessoas que buscam experiências de êxtase que elas não duram pra sempre e que o êxtase pode ser como tomar um pore. Não se pode ficar de porre o tempo todo porque a vida se vive sóbrio. É na sobriedade que reside a beleza. Se não encontramos beleza na sobriedade não será no êxtase que encontraremos.  Portanto não se apegue a esse tipo de experiência.

Vc. já desitiu hoje?

A vida não põe coisas na sua frente que vc. não pode dar conta.



A tentação de desistir da pratica é um dos nosso mais persistentes fantasmas. Nos acompanha e acompanhará para toda a vida. Há quem desista porque simplesmente não se encaixa nessa prática, mas descobrir-se-a em outro estilo em outra tradição budista ou não-budista. Há quem desistirá porque não encontrar apoio em seus devaneios. Ou por não encontrar respostas que casem com suas teorias ou filosofais já armazenadas. Há quem desistirá por não aceitar se curvar às regras e à tradições tão diferentes da sua cultura ou padrão aprendido. Há tb. quem desistirá por preguiça por achar que essa pratica é muito difícil e por estar acostumado a ter tudo fácil e na hora não saberá esperar, esperar, ser paciente e esperar.

Já tive minhas fraquezas e já desisti por um tempo mas sempre voltei e começar do zero às vezes é mais difícil que simplesmente seguir em frente e esperar que a situação mude, que vc. mude ou que algo mude em volta.

Quando penso em desistir vou logo a procura de algo que me motive e se necessário tomo o remédio mais eficaz: esperar. Se as coisas não aconteceram é porque não estamos preparados ainda para elas. Então só nos resta esperar.





08 abril, 2012

Diferença entre Ajudar, Consertar e Servir

Em recente palestra do Dharma Dai En Roshi leu um texto da Dra Raquel Naomi Remen que está no livro: Kitchen Table Wisdom: Stories That Heal.

O texto pode ser lido em inglês aqui



"Ajudar, consertar ou servir representam três maneiras diferentes de ver a vida. Quando você ajuda, você vê a vida como fraca. Quando você conserta, você vê a vida como quebrada. Quando você serve, você vê a vida como um todo. Ajudar e consertar podem ser um  trabalho do ego, e servir o trabalho da alma."

O vídeo de Dai En Roshi.