16 junho, 2011

Quem é Joko Beck?

Quantos anos vc. tinha quando começou a meditar?

Charlotte Joko Beck: 39-40 anos.

Você teve alguma realização através da meditação?

Não. Naturalmente temos realizações, mas não é isso que realmente move a pratica..

O que você diria a mais sobre isso?

Encontrei todo tipo de pessoas que tiveram todo tipo de experiências e elas ainda estão confusas e não estão indo bem em suas vidas. Experiências não são suficientes. Meus estudantes aprendem que se eles tiverem essas chamadas experiências, eu realmente, não me importo muito em ouvi-las, “Sim, está bem. Não se apegue a ela. E como vc. está se relacionando com sua mãe?” (Respostas dadas aos alunos) Caso contrário, eles ficam presos nisso. Isto não é uma coisa importante na pratica.

E posso perguntar-lhe o que é?

Aprender a lidar com o nosso próprio Eu egoísta. Esse é um trabalho, muito, muito difícil.

Parece haver uma recompensa porque você se sente vivo  em vez de morto.

Eu não diria uma recompensa. Você está retornando à origem, pode-se dizer- o que você sempre foi, mas que foi severamente engolido pela sua crença central e todos os seus sistemas. E quando esses ficam mais fracos, você sente alegria.  Então não é grande coisa cozinhar, limpar a casa, ir para o trabalho e coisas assim.

Cozinhar é uma grande meditação-especialmente se vc. detesta fazer isso…

Bem, se sua mente divagar para outras coisas enquanto você está está preparando um prato, basta devolvê-la ao prato que estiver fazendo. Meditação não é algo especial. Não é uma maneira especial de ser. É simplesmente estar consciente do que está acontecendo.

A meditação sentada prepara o terreno para isso?

Claro que sim. Ela lhe dá a força para enfrentar as coisas mais complexas em sua vida. Você não vai se encontrar com nada quando você está sentado, exceto com sua mente pequena. Isso é relativamente fácil quando comparado a algumas das situações mais complexas que temos de viver no nosso caminho. Sentar em meditação lhe dá a habilidade para trabalhar com sua vida.

Li seus livros.

É, vc. os leu. Bem, então deixe-os de lado, Ok?

Vc está me dizendo para não ler seus livros?

Tudo bem. Leia-os uma vez e isso é o suficiente. Os livros são úteis. Mas algumas pessoas leem por cinquenta anos. E eles ainda não iniciaram sua prática.

Como vc. descreveria a auto descoberta?

Você é realmente apenas um conjunto contínuo de eventos: boom, boom, boom, boom, boom, um após o outro. A consciência está acompanhando os acontecimentos, ver a sua vida se manifestando como é, não suas ideias sobre isso, suas fotos dela. Você entende o que eu quero dizer?

Como vc. define meditação?

Consciência do que é isto, mentalmente, fisicamente.

Você poderia completar a seguinte sentença para mim? “A experiência da meditação é....”“…

Despertar do que é isso.”

“Consciência meditativa mudou a minha vida da seguinte forma…”

Ela mudou a minha vida no sentido de que seja mais harmoniosa, mais satisfatória, mais alegre e mais útil. Embora eu não pense muito nesses termos. Eu não me acordo de manhã pensando que vou ser útil. Eu realmente penso sobre o que eu vou comer no café da manhã.

“A conciência meditativa me ensinou uma coisa que eu quero compartilhar com todos e esta coisa é…”

Eu não quero compartilhar nada com todas as pessoas.

Com quem vc. quer compartilhar?

Ninguém. Eu apenas vivo a minha vida. Eu não saio por aí querendo compartilhar alguma coisa. Isso é extra.

Você poderia falar um pouco mais sobre isso?

Bem, há um pouco de sombra de piedade que se arrasta na prática. Você sabe, "Eu tenho esta prática maravilhosa, eu quero compartilhar com todos." Há um erro nisso. Você provavelmente poderia descobri-la sozinho.

Eu acho que é algo que eu preciso aprender.

Você e eu sabemos que não há nada que vai me fazer correr mais rápido do que alguém que vem por aí e quer ser útil. Você sabe o que eu quero dizer? Eu não quero que as pessoas sejam úteis para mim. Eu só quero viver minha própria vida.

Você acha que você compartilha a si mesmo?

Sim, mas quem é esse (si mesmo)?

Charlotte Joko Beck, mestra Zen Soto. Autora de "Nada Especial. Vivendo Zen, Everyday Zen: Love and Work." Joko nasceu em 1917, e faleceu em 15/06/2011.

Entrevista  à Donna Rockwell em Shambhala SunSpace.

Outra entrevista para a Revista Tricycle.


Sem comentários: