29 maio, 2010

Somos Doentes de Passado

Guardar, guardar, guardar.

"Guarda!" em italiano sig. "Olha" "Guardar" sig "olhar"

Olha isso aqui! Olha agora! E depois esquece!

Vivo quase uma amnésia diária. Involuntária. Um alívio pois as coisas não ficam muito tempo na lembrança. Inconveniente numa conversa não lembrar de nomes, não saber contar coisas porque faltam dados.As coisas são contadas com base no que já aconteceu. O que já aconteceu já esqueci. Coisas marcantes ficam mais tempo circulando na mente.

É um alívio não buscar no passado lembranças (principalmente as mais desagradáveis ou dolorosas), não ruminar por muito tempo eventos. até mesmo antigos ressentimentos se perderam no esquecimento.

Se algum dia alguém inventar um dispositivo para fixar na região do cérebro que ativa as lembranças para desliga-las, que não seja uma droga como em Admirável Mundo Novo, porque as drogas proporcionam esquecimento momentâneo mas,passado o efeito, as lembranças ainda está na mente e o corpo fica doente. Talvez isso proporcione alívio a muitas pessoas que vivem doentes do passado e não conseguem, mesmo com auxílio de terapias, esquecer situações dolorosas, traumas que as impedem de ter uma vida saudável.

Mas até lá o exercício mais prático de esquecer-se de si mesmo é deixar os acontecimentos irem do seu pensamento. Não se agarrar a eles. Usá-los pelo tempo necessário e depois abandoná-lo. Como ir ao banheiro. Vc. usa o papel higiênico e deixa no lixo. Vc. não o leva consigo de lembrança. Ele foi útil naquele momento. Não é mais.

Então vc. olha para as coisas que acontecem. Olha mesmo, como vc. olha para um objeto, vc. olha para sua mente. Vc. olha para o processo: ação-efeito-resultado-e deixa ir da sua mente.

Qdo eu tinha uns 12 anos fiz uma experiência com um copo de cerveja. Queria saber o que acontecia se eu tomasse aquela cerveja gole a gole, lentamente, observando o processo: o percurso que o líquido faz no corpo até o álcool chegar no cérebro. Sem saber eu tomei aquela cerveja com plena atenção e senti uma sensação tão estranha, que, depois de alguns goles, não consegui mais prosseguir. Depois desse dia fiquei muito tempo sem beber nada de álcool.

Olhar para as coisas ou sensações nos dá a dimensão de que elas são feitas. Fazer experiências ajuda a ver melhor o que acontece. Olhar com plena atenção. Esse método que usei com o copo de cerveja pode ser aplicado a outras coisas. Ao cigarro, a um prato de comida, a raiva, medo, sentimentos mil. Basta investigar a si mesmo. Tão logo algo surja perguntar-se "O que é isso!" - Quando algo surge em sua mente ou quando há uma reação também ajuda. Mas não pergunte "o que é isso?" para alguém. Pergunte para si mesmo. Porque as coisas surgem de vc. para fora. é vc. que reage aos estímulos de fora, então o que acontece, a sua reação vem da sua mente. Uma mente treinada não reage, apenas observa como se fosse uma nuvem passando. E então espera a nuvem passar. Se reage o faz amorosamente.

Isso já ajuda bastante a curar-se do passado.

Sem comentários: