31 julho, 2009

Uma boa medida.

"Tem um ditado antigo que diz que para se conhecer bem uma pessoa,
é necessário comer junto a ela um quilo de sal.


Você sabe quanto dura um quilo de sal? Meses - para alguns,
é possível que mais de um ano.
Ao longo de um quilo de sal passam alegrias, tristezas,
contratempos e contradições. Amanhece e anoitece um sem número
de dias e noites com suas surpresas e rotinas. O inexplicável, o incompreensível, o passageiro.

Os questionamentos e as muitas respostas.
E é debaixo de um quilo de sal que a gente decide se quer permanecer...
Bem: isso é válido mais para as relações a dois, os pares-cúmplices,
os amantes cotidianos. Ou seja, para aqueles que não têm onde se esconder um do outro...
Junto aos amigos é mais difícil comer um quilo de sal.
A convivência se dá num nível diferente - aquele dos encontros espaçados,
os almoços e jantares, os cinemas, o telefone e, num tempo maior,
as viagens de férias ou finais de semana. Mas nada pode ser
comparado com habitar sob o mesmo teto.

Daí, como desvendar e reconhecer os que hão de permanecer?
Já tive - como todos - muitas decepções amigáveis.
Não é raro o engano: vivemos tão esperançosos pela verdade,
que ao mais breve sinal de simpatia pregamos uma tarja de confiança.
E não é raro também o desencanto, o susto,
a sensação de perda quando os véus caem.

Isso diminui com a maturidade, quando já
aprendemos que o brilho dos olhos traem e que nem todo sorriso é cordial.
Então, de toda forma, andei pensando que talvez devêssemos adotar
a medida de um quilo de sal também para esse tipo de relacionamento e,
quem sabe, teríamos menos desapontamentos antes de saber o quase tudo da vida... "

Ps. Não lembro de quem é o texto.

Sem comentários: