27 fevereiro, 2009

Sobre o Tatame.

O último retiro que fiz nunca tinha sido tão doloroso comparado aos outros. Se pudesse me mexer tanto quanto gostaria não encontraria posição confortável. Desconforto é a palavra apropriada para o que senti em todo o retiro. Senti demais minha rigidez física, o peso de meu corpo se apoiando nos pés, que ficaram dormentes por dias. Sem circulação sobre um deles. Um dos dedos ficou como se estivesse morto. É bem verdade que todo retiro foi feito sobre uma base rústica e apropriada a esse tipo de "tortura zen". Tinha que aguentar, pois não podia solicitar um zabuton e não queria sentar-me na cadeira. Disseram-me que estava segurando alguém do lado que era novato. Mas depois achei que estava segurando uma vã de novatos :-)
Disseram-me que no Mosteiro de Eiheiji medita-se sobre o tatatame de palha.
Dois anos atrás quase foi parar em Eiheiji para um retiro de fim de semana à caminho da Coreia do Sul. Desisti de ir à Coreia e não tive essa prévia. Que os méritos dessa dolorosa prática se estendam a todos os seres e que todos possam encontrar o caminho iluminado.

Sem comentários: