29 dezembro, 2008

Já se desfez do entulho?

Não adianta se lembrar dos erros alheios repetidamente;
Os nossos próprios erros devem ser limpos continuamente.

Rekigan caso 22.

Os Registros do Penhasco Azul.


Nossa faxina de fim-de-ano vai ser um presente para o cara que recolhe o lixo reciclável. Muito papel, papelão, plástico, latas. E ainda nem terminamos de remover tanto entulho. Quando morava sozinha as pessoas se admiravam dos espaços vazios. Um lugar cheio de coisas me incomoda. Nas próximas vidas não quero acumular nada.

A faxina de fim-de-ano, é uma tradição milenar tanto no ocidente quanto no oriente. Não sei quem copiou quem. Mais provável que o ocidente tenha copiado o oriente.

Mover as coisas dos lugares onde estão há anos, esvaziar gavetas, aqueles guardados de escola, infância. Lembranças, lembranças. Muito bolor, mofo, poeira. Nada bom para se guardar e faz muito mal à saúde.

Para alguns esse é uma tarefa difícil e dolorosa, porém necessária. Muita coisa pode ser doada:livros, roupas, moveis...

Dizem também, que ao mover as coisas, as energias se renovam, circulam melhor, o ambiente se revigora. A faxina na mente faz-se todos os dias.

Sem comentários: