28 agosto, 2008

Prostrações: Uma Prática Poderosa!













A primeira prática budista que fiz antes mesmo da meditação foram as prostrações no estilo tibetano. O corpo todo vai ao chão. Os tibetanos usam um suporte nas mãos para deslizar mais facilmente o corpo pelo chão e a superfície deve ser lisa. Não sabia disso quando fazia. Talvez tivesse me empenhado mais se tivesse noção desse recurso.

Mas depois aprendi o estilo zen de prostração e me dediquei a ele.

No Zen Coreano é repetida diariamente. Em retiros é a primeira prática do dia.
São 108 repetições.

No Budismo Tibetano recomendá-se 300 por dia.
Ou pelo menos 100-300 mil prostrações ao longo da vida.
Como tudo para os Tibs. gera/acumula méritos, essa prática é uma genuína poupança ao bom carma. Mas é claro que ela também puxa o lixo para fora daí ser considerado uma prática de desintoxicação. Pode ser bom, mas com certeza antes de ser bom pode trazer mal estar. Curar o carma não sai de graça. Então vá com calma.

Atenção! Pessoas sob tratamento psiquiátrico não devem se submeter a praticas budistas sem supervisão de seu terapeuta e de um mestre experiente nessa área. Práticas budistas podem intensificar estados alterados que se encontram estáveis pois movem estes estados para a superfície causando turbulência. Não corra riscos desnecessários.

Sem comentários: