27 agosto, 2008

Monges protestam na Coreia do Sul.

200 mil monges protestaram está semana em Seul (Coreia do Sul), pela discriminação do governo coreano (Lee Myung Bak) ao Budismo e pelo favorecimento ao cristianismo no país. O presidente Lee é pastor presbiteriano. O sistema de GPS dos carros não aponta templos e mosteiros budistas. Já as igrejas são indicadas. Os monges querem um pedido de desculpas formal e uma lei que determine a neutralidade religiosa do governo coreano.

Sem comentários: