30 agosto, 2008

Metta e Tonglen duas práticas de Compaixão.

A tradição Zen não tem uma prática formal de Compaixão. Basicamente seguir os Preceitos já seria suficiente. Mesmo assim muitas pessoas perguntam como podem praticar Compaixão.

Depois de me iniciar nas prostrações comecei a meditar no estilo Zazen.
Ao final da meditação recitava o Sutra do Coração
e o Sutra de Metta.

O Sutra de Metta pode ser cantado.O Canto de Metta
em pali é muito bonito.

Ouçam acompanhando a letra


Metta
é uma palavra em Pali que significa bondade amorosa.
Metta
é compartilhar esse amor-bondade com todos os seres.
Metta é compaixão.


O Tonglen é muito semelhante ao Metta. Pema Chödrön explica melhor o que é a prática do Tonglen.

O Canto de Metta é da tradição budista Theravada e o Tonglen (dar e receber) é uma prática do Budismo Tibetano. Tanto o Tonglen quanto Metta são práticas de compaixão. Os objetivos são os mesmos. Enquanto Metta direciona Amor Bondade/Compaixão começando por si, para pessoas próximas conhecidas ou não e por fim para todos os seres. Tonglen usa em parte o mesmo método. Consiste em absorver o sofrimento e devolvê-lo em forma de amor bondade. O Tonglen exige nesse aspecto mais cuidado e se possível orientação de um professor. Se feito incorretamente pode tornar-se prejudicial. Se vc. apenas absorver o sofrimento alheio e não passar pelo filtro da compaixão devolvendo-o em amor bondade poderá ter problemas. Se ele for guardado vai gerar tristeza e sofrimento ao praticante.
É importante trabalhar o aspecto da dor porque é esse aspecto que nos afasta do caminho da compaixão.
Não vejo problemas com a prática de Metta, mas o Tonglen como de sorte a maioria das práticas do Budismo Tibetano recomendo fortemente que se procura um centro tibetano e a orientação de professores treinados nessa prática. As práticas tibetanas podem se constituir em grande problema se mal executadas, se executadas em intensidade inadequada e sobretudo sem conhecimento dos efeitos colaterais. Remédios sejam eles sintéticos ou espirituais não devem ser tomados sem prescrição de alguém treinado para tal função. Pessoas que se encontrem em tratamento psiquiátrico ou tenham síndrome de pânico não devem se iniciar por conta própria à práticas budistas. Muitas dessas práticas podem intensificar o problema que está estável ou sob controle trazendo reações inesperadas. Procure sempre a orientação de alguém.
Qualquer um que se inicie em alguma prática por si só não deve se super estimar. Comece com práticas mais simples.

Sem comentários: