30 maio, 2004

Algumas Armadilhas ao Longo do Caminho

Se você seguiu a longa trilha de toda uma vida da concentração, o maior obstáculo em potencial em alguns pontos de sua jornada será, sem dúvida nenhuma, sua mente pensante.

Por exemplo, você às vezes, pode pensar que, de tempos em tempos, estava chegando a algum lugar, principalmente se você tem alguns momentos de satisfação que transcendem o que você vivenciou antes. Então você pode sair por ai pensando, até mesmo dizendo que chegou a algum lugar, e que a prática da meditação ?funciona? O ego quer reivindicar o crédito desse sentimento especial de compreensão, qualquer que seja ele. Quando isso acontece, você não está mais fazendo meditação, mas a sua publicidade. É fácil se ver apanhado nessa situação, usando a prática da meditação para apoiar o hábito de inflar o ego.
Ao ser apanhado nessa situação você deixa de ver as coisas claramente. Mesmo um insight preciso, no momento em que ele é reivindicado pelo pensamento a seu serviço, rapidamente turva tudo e perde sua autenticidade. Então você terá que se lembrar que todas as colorações do "eu", "meu" são simplesmente correntes de pensamentos possíveis de afasta-lo do seu próprio coração e da pureza da experiência direta.
Esse lembrete mantém a prática viva para nós exatamente nos momentos em que mais precisamos dela e quando estamos mais propensos a traí-la. Ele nos mantém olhando profundamente, com espírito de indignação e curiosidade genuína e perguntando-nos constantemente: "O que é isso?", "O Que é isso?"

Ou quem sabe, uma vez ou outra você pode se ver pensando que não está chegando a lugar algum na sua prática de meditação. Nada do que você queria que acontecesse aconteceu. Há uma sensação de impasse e tédio. Aqui novamente é o pensamento que é o problema. Não há nada de errado com os sentimentos de tédio ou de impasse, ou de sentir que você não está chegando a lugar algum, como não há nada de errado com o sentimento que você está chegando a algum lugar e, na verdade, sua prática pode estar mostrando sinais de estar se tornando mais profunda. e sólida. A armadilha é quando você supervaloriza tais experiências e pensamentos e começa a acreditar nelas como algo especial. É quando você fica conectado à sua experiência que a prática estaciona e o seu desenvolvimento para junto com ela.

Jon Kabat-Zinn [A Mente Alerta, Objetiva, p. 258-60]

Sem comentários: