28 fevereiro, 2004

Por que o mundo? Por que nós? O nada não é muito mais simples?


[...] o conceito de tempo tal como o entendemos em nosso dia-a-dia, o tic-tac
constante e regular do passar das horas, não faz sentido perto da origem do
Universo.
A realidade não é descrita por um espaço inerte e por um tempo regular, fluindo
como um rio.
Tanto espaço quanto tempo flutuavam caóticamente: o espaço deformado
em todas as direções, em cada ponto, um tempo diverso. Não existia um "antes"
antes do próprio tempo- como entendemos- existir.
Tinha razão Santo Agostinho, quando disse que o tempo veio com a Criação.
Mas a Criação, de onde veio? De uma flutuação quântica no Universo primordial, diz a cosmologia moderna. Do desejo inerente de algo existir, dizem os maoris.
Sob a ótica da história a pergunta é mais importante que a resposta. [...]

Por que o mundo? Por que nós? O nada não é muito mais simples?

Marcelo Gleiser, prof de física in: [Folha Mais! 09 jun 2002]

Sem comentários: