17 janeiro, 2004

...o que, em sua própria vida, é "o menor".

Pensamos de imediato naquelas pessoas que são muito
pobres. No entanto, "o menor" refere-se ao "menor" em
mim, em você. O que é menor para você? A que em sua
vida você tem o menor interesse em servir? Para a
maioria, "menor" são certas pessoas de quem não gostam
ou com quem têm dificuldades: as pessoas consideradas
descartáveis. "Menores" podem ser também as pessoas a
quem tememos, as que nos intimidam. Num nível mais
sutil, podem ser aquelas que sentimos que devemos
instruir, iluminar ou ajudar.

Quanto mais claramente virmos que não há nada que
precise ser feito, mais vemos aquilo que necessita ser
feito. É uma coisa engraçada. Quando partilhamos de
verdade o que temos: tempo, bens e, o mais importante,
nós, nossa vida flui com facilidade.

Há a história de um poço que era alimentado por pequenas nascentes que sempre forneciam seu suprimento de água. Certo dia o poço foi coberto e esquecido até que alguém, anos
depois, o destampou. Porque ninguém nunca mais tinha
ido ali para buscar água, as nascentes tinham deixado
de enchê-lo e o poço estava seco. Acontece a mesma
coisa conosco: podemos nos dar e nos. Abrir cada vez
mais, ou podemos nos conter e segurar, e ficarmos
secos.

Charlote Joko Beck [Nada Especial: Sempre Zen]

Sem comentários: