03 maio, 2003

Removendo Camadas

Lembro de uma história que li no livro do Jack Kornfield.
Depois do Êxtase: Lavar a Roupa,

em que ele conta a história de uma princesa que foi prometida a um príncipe em casamento quando ambos eram bebês. O príncipe cresceu e por obra de um encantamento foi transformado em um dragão. Como promessa é divida, os pais fizeram o casamento se realizar, mas a princesa estava infeliz por ter que aceitar a imposição dos pais: casar-se com um dragão cheio de escamas e horripilante. Então uma fada veio até ela e ensinou-lhe como se comportar com seu marido depois do casamento, na noite de núpcias.

Ela aconselhou à princesa a vestir varias camadas de roupa sob o vestido de noiva e quando chegasse a hora H, ela diria para o príncipe que só seria sua esposa naquela noite se ele concordasse com uma coisa.

Então o casamento se realizou e quando os dois princesa e dragão já estavam no quarto, a princesa disse-lhe: Agora vc. deve fazer tudo que eu disser exatamente como eu fizer e depois quando tivermos acabado eu serei sua esposa.

O dragão concordou e ela disse: Agora, a cada camada de roupa que eu tirar vc. deve tirar uma camada sua também.
A princesa tirou uma camada de suas roupas e o dragão, mesmo sentindo muita dor, tirou as escamas de sua pele.
Mais uma camada de roupas da princesa e o dragão, retirou a pele, e depois mais uma camada de pele e assim, por mais que isso lhe custasse e lhe doesse profundamente, ele retirou todas as camadas, até que por fim sob a última camada estava o príncipe, então livre do encantamento, ambos puderam realizar suas núpcias.

Então por mais doloroso que seja, lá no fundo está a nossa verdadeira natureza e creio ser esse nosso esforço: remover as camadas da nossa mente. Isso pode levar uma vida, ou muitas outras, e não começa com a nossa morte física, mas com a morte do nosso ego doente ( o encantamento), que libertará assim o ego saudável ( o príncipe) para que possamos ser felizes nesse exato momento ( para sempre).
Isso pode parecer um conto de fadas, mas se começamos a trabalhar ( praticar) agora o tornaremos cada vez mais possível.


Sem comentários: