18 maio, 2003

Prática Moderna

Estávamos praticando e lá pelas tantas toca o celular.
Minha colega de prática, sem cerimonia, pega o celular e
atende. Segue falando e eu sigo meditando.
Depois que ela desliga faço gasshô e digo: "Ah, Mestra Heila..."
Começamos a rir...
Coisas do mundo moderno.

Hoje fizemos um mini retiro manhã à tarde.
Estava precisando de mais prática. Antes eu tinha tempo para praticar
e praticava mais intensamente. Agora quase não tenho tempo para prática formal,
então estou pondo em pratica a prática no dia a dia.
Tenho grande oportunidade de praticar onde estou.
Me assustou um pouco no início, mas já estou me adaptando.

Na sexta fomos à palestra com Lama Chagdud Khadro
de Três Coroas.
A Lama Khadro retorna à ilha depois de três anos.
Lembro que ela foi meu primeiro contato com o mundo budista real.
Não havia nenhum grupo praticando zen aqui e sem opção fui ver como era.
Fiz iniciação em Tara Vermelha com a Lama e depois sigui apenas fazendo as
prostrações e continuei com a meditação no estilo zen.
Depois simplifiquei as prostrações, até descobrir como elas eram feitas no zen.

Ela falou sobre como preparar a consciência para o momento antes e depois da morte.
Que antes da morte de seu mestre e consorte C.T. Rimpoche ele viajou por
vários países dando ensinamentos sobre a morte, mas tudo que ela ensinou era baseado nos
livros, até então ela nunca havia tido nenhuma experiência concreta com ninguém próximo.
Então a primeira perda, justo de um grande mestre, foi muito inesperada.
Falou de mais algumas coisas como: que não se deve mexer no morto por um determinado
tempo após a morte, até que a consciência saia do corpo.
Entre outros rituais próprios da tradição tibetana.

Sem comentários: