30 maio, 2003

Experimentando nossa indelicadeza

O que significa experimentar minha própria indelicadeza?
Primeiro, uma observação
impessoal e sem julgamentos de meus pensamentos indelicados é necessária –
sem nenhuma análise, apenas atenção pura.
Segundo, devo experimentar diretamente a tensão corporal que é o espelho
exato de meu pensamento separador, meu medo.
Neste experimentar, neste samadhi de não-pensamento,
eu sou os outros e a gentileza é a minha verdadeira natureza.
Mais e mais eu vejo meus próprios pensamentos indelicados
como o sonho que são (e vejo também que meus ideais
são os filhos deste sonho).
Nesta prática ou zazen, nossa experiência do que nossa vida é devagar clareia,
e mais e mais sua expressão natural é a gentileza e a compaixão.
Fácil? Nem um pouco. Achamos difícil de fato nos afastar de nosso falso
desejo por um ideal (sempre envolvendo julgamento sobre nós e os outros)
e praticar com a experiência direta de nossa vida neste exato momento.
Mas em nome de nossos votos de fidelidade a toda a vida, apenas fazemos,
pacientemente e com determinação.

Charlote Joko Back
Tradução para o português de
Emerson Zamprogno

Sem comentários: