31 março, 2003

Por quê nunca li Rubem Alves?

Vontade de escrever e desenhar. O culpado: Rubem Alves.


Tudo assim como é, é perfeito!

Now I look to the world and I start to cry.
This world it’s so beautiful.
Thanks for coming and to open the door!


Na porta do seu quarto estava escrito: “Bene vixit qui bene latuit.”,
Bem viveu quem bem se escondeu, Descartes.
Quando finalmente abriu-se a porta para o mundo fora de si, ele saiu.
A primeira providência: rasgar a frase,abolir Descartes de sua vida.
Agora ele olhava as coisas do mundo e elas não cabiam mais no seu coração apertado.
Seus olhos se enchiam de rios, lagos, mares e chuva, chuva.
O mundo era tão lindo, tão lindo. -Ele suspirava: tão lindo, tão lindo!-
Repetindo para si mesmo.
Tinha vontade de sair correndo e abraça-lo todo em um abraço.
Engoli-lo todo em um gole.
Por quê continuar? Está tudo perfeito.
Tudo assim como é, é mágico.
Nada a acrescentar.
Não mude a cor, a forma, o tamanho, os cheiros, as gentes com seus corações grandes ou pequenos,
suas bondades ou maldades; tudo assim, é perfeito.
Por quê ir embora? Deixe ser e seja cada momento, como ele vir,
sem se conter, sem desistir, sem hesitar,
sem ir ou vir, sem pensar, apenas esteja presente.
Escolheu uma nova frase para colar na porta: Tudo assim como é, é perfeito.

Sem comentários: