11 março, 2003

Comportamento na Sanga

Se é infinitamente raro encontrar o Caminho, entrar nele e seguir,
é muito fácil afastar alguém dele.
Quando vamos a um Zendô, ao entrarmos na sala de meditação
deixamos nossos sapatos fora da sala. Deixamos o que trouxemos
conosco fora do lugar da prática. Isto significa que deixamos
fora tudo que não diz respeito à prática.

Dentro da sala de prática temos atitude respeitosa,
não usamos a fala incorreta, não nos comportamos
como nos comportamos fora, não caminhamos como caminhamos fora,
não sentamos como sentamos fora,
Não falamos e discutimos entre si, expressando nossas opiniões:
“Eu acho, Eu penso...”
Não nos arrogamos a ensinar o Dharma.
Falamos apenas o que diz respeito a prática, sobre o Dharma
ou relatamos nossas experiências com a prática.
Não usamos o zendô como se estivéssemos em um bar bebendo
e conversando com nossos amigos.
Observamos a postura e a fala correta.
Devemos lembrar que somos o espelho um dos outros e aqueles
que estão ali, estão nos observando e nós a eles.
Devemos ser o exemplo de prática que eles queiram imitar, o exemplo correto.
Se dermos mal exemplo isso gera opiniões, julgamentos.
Se nos comportarmos sem critérios, vira bagunça.
Alguém pode desistir da prática por não ver ali naquele
lugar pessoas sérias e comprometidas com aquela prática.
E se vê pessoas sérias demais, também não é bom.
O bom é o equilíbrio, o Caminho do Meio.
Devemos lembrar de estar atentos para isso.

Agora estou achando que sou séria demais. Será?

Sem comentários: