21 fevereiro, 2003

Ritos de Passagem

Estava me olhando no espelho e a imagem que olhava de fora não era a mesma que olhava de dentro. Então a imagem de fora foi se aproximando à imagem de dentro e ambas se fundiram numa só atravessando o espelho e depois atravessando a parede até que cai em pé do lado de fora da parede. Era dia. Havia sol. Lembrei de um lugar onde já havia estado. Levantei os braços, comecei a me elevar do solo e voei baixo sobre a cidade, sobre riachos, pântanos até chegar a um porto. Quando vi o mar
tive medo de atravessa-lo voando e desci para o chão. No porto haviam dois portões de chegada ou partida. Em um estava escrito Índia e no outro África do Sul. Abri o segundo, pois estava chegando um navio de lá.
Depois, enquanto o navio que havia chegado descarregava, fiquei circulando no porto, observando as pessoas, algumas bem estranhas.
Foi apenas um sonho. Me sinto muito leve depois de voar!

Quem não tem passagem, voa no sonho.

Sem comentários: