14 dezembro, 2002

A mente funciona para criar todos os tipos de mundo


Quando buda emana a grande luz,
As dez direções brilham.
Todos no Céu e na Terra
Podem vê-lo livremente, sem obstruções.

As coisas todas não têm proveniência,
E ninguém pode criá-las.
Não existe lugar algum onde nasçam.
Elas não podem ser discriminadas.

As coisas não tem nascimento e
Tampouco extinção.
Aqueles que entendem isso
Verão Buda e o tocarão.

Se alguém quer conhecer os Budas de outros tempos,
Deveria contemplar a natureza do cosmo:
Tudo nada mais é que construção mental.

É como um pintor espalhando várias cores.
A ilusão se apega a diferentes formas, mas os elementos não têm distinção.

Nos elementos, não há forma, nem não-forma nos elementos.
Não obstante, à parte dos elementos, nenhuma forma pode ser encontrada.

Na mente não há pintura.
Na pintura não há mente.
Não obstante, à parte da mente, nenhuma pintura pode ser encontrada.

A mente nunca pára de manifestar formas, incontáveis, inconcebíveis muitas,
Muitas desconhecidas umas às outras.

Como o pintor que pode não conhecer sua própria mente,
E não obstante pinta graças à mente, assim é a natureza de todas as coisas.

A mente é como um artista, capaz de pintar os mundos:
Os cinco skandas (agregados) nascem do mesmo tipo de funcionamento da mente.
Não há nada que ela não faça.

Se as pessoas sabem de que jeito a mente funciona para criar todos os tipos de mundo,
Elas serão capazes de ver Buda e entender a verdadeira natureza de Buda.


Thich Nhat Hanh [Cultivando a Mente do Amor, Interpretação livre do TNH sobre Sutra Avantamsaka, Cap. XX]

Sem comentários: