30 novembro, 2002

"Qualquer lugar que vc. esteja é o seu templo, se vc. o considerar como."

A monja Jókei, discípula da Mestra Zuymyo Joshin (Luce Bachoux,Fr), ambas discípulas de Moriyama Roshi (RS), fez uma visita ao zendo ( ainda sem nome), acompanhada de alguns discípulos de M. Roshi.
Meditamos juntos por 40min., sutra, votos, refúgio.
Monja Jokei falou-nos sobre seu percurso como monja, dificuldades com a prática, mestres, a vida no mosteiro e repondeu perguntas.
Ela falou que na tradição Soto Zen tem-se dois mestres: um mestre de trabalhos (sumo). Os trabalhos consistem em limpeza e organização da rotina do mosteiro, lavar, limpar, cortar lenha, cozinhar, servir, costurar, etc. Tudo muito rudimentar, sem as facilidades modernas. O mosteiro vive como se estivesse na Idade Média: sem luz, sem gás, sem chuveiro elétrico.
Depois tem mestre de ensinamentos (Dharma). Já havia lido uma matéria com a monja Zuitem falando disso. Ela disse que lá no mosteiro (Japão) primeiro se passa por vários setores, aprendendo de tudo, como se fosse uma fábrica de montagem. Depois que se aprende a duras penas a disciplina do mosteiro e consequentemente o corpo e a mente estão tb. disciplinados, então vai-se aprender os cantos, sutras, cerimoniais e por fim o Dharma

Claiton nos falou sobre o grupo que se reúne no recém fundado Zendo do Grande Oceano.

Pela descrição parecia ser um refúgio perfeito para a prática. Perfeito demais. Fomos conferir e retribuir a visita. Levamos presente e ... dia de Zazen...ninguém. Tivemos bom passeio.

Não sou muito fã dessa mania dos japoneses de escolher lugares isolados, inóspitos, inacessíveis.
Pra que se esconder? Se tudo que temos levamos conosco, onde que quer que formos.
Precisamos criar condições para que as pessoas possam praticar onde elas estão vivendo, sem criar obstáculos.
Para quem mora no local ou próximo é ótimo, perfeito!
Se a questão é criar dificuldades, pode-se fazer a prática difícil praticando em casa, na cidade, basta querer.

Se um dia tiver um Zendo, ele vai ser na rua mais barulhenta da cidade. Só pra contrariar.

Ok, um lugar para fazer retiros até pode ser afastado, calmo, mas não necessariamente inacessível.


Fotos são como miragens no deserto, vc. pensa que é tudo isso e quando chega perto...

Essa casinha não é o Zendo é um albergue :)

Cadê o paraíso? Está no aqui e agora!

Sem comentários: