28 setembro, 2002

Mestre Hsin Ting em São Paulo!

Você pode fazer isso por mim?


Um aluno uma vez perguntou ao Mestre Ch'an Chao Chou (778-897) o que deveria fazer para aprender o Dharma, ao que o mestre respondeu, "Vou urinar agora. Você pode fazer isso por mim? É claro que não! Ninguém pode fazer por mim nem sequer algo tão simples. Se realmente quer aprender o Dharma, faça-o você mesmo".

Até mesmo nossa reverência pelo Buda pode se constituir um obstáculo ao crescimento se não compreendermos que o verdadeiro Buda é um estado mental, e não simplesmente um símbolo ou história que existe em algum lugar, fora de nós.

Não é verdadeiro um ensinamento que não possa ser vivido e experimentado. Se não pudermos empreender um esforço para aprendê-lo, começando por onde estamos, de nada nos serve.

A forma correta de estudar o Dharma é desenvolvendo uma relação com o Buda, tanto aquele que está em seu interior como aquele que o transcende. Quando conseguir ver o Buda em tudo, poderá
dizer que realmente compreende o Dharma.

No estudo do Dharma é necessário alcançar o equilíbrio correto entre a necessidade de se acreditar no Dharma e a de testá-lo. Se nele acreditarmos com fé demasiada, talvez nunca venhamos a fazer as perguntas mais penetrantes, que levam aos níveis mais profundos de compreensão. Por outro lado, se gastarmos tempo excessivo questionando toda e qualquer palavra, estaremos nos privando da oportunidade de aprender o que quer que seja. Há pessoas assim, que contradizem tudo o que ouvem e
argumentam contra todo e qualquer aspecto do ensinamento do Buda.

Há um ditado Ch'na: "Pequenas dúvidas levam a pequenos despertares. Grandes dúvidas levam a grandes despertares.

Certa vez, um jovem estudante perguntou a um mestre Ch'an por onde deveria começar a estudar o Dharma. O mestre disse: "Você ouve os pássaros cantando nas árvores e os grilos cricrilando na grama? Pode ver a água fluindo no riacho e as flores despontando nos campos?", ao
que o jovem respondeu afirmativamente. O mestre então concluiu: "É por aí que você deve começar a estudar o Dharma."

Um aluno do mestre Ch'an Wei Shan (771-853) perguntou-lhe: "Qual é o caminho?" O mestre respondeu: "A não-mente é o caminho." O aluno disse: "Então, estou perdido!" E o mestre replicou: "Então, encontre alguém que não esteja perdido." O aluno questionou: "Mas quem é que
não está perdido?" O mestre disse: "Apenas você mesmo. Encontre a si mesmo!"

A meta da não-mente é ver o mundo como ele realmente é, não como pensamos que é. Alcançando esse objetivo, será possível ver o Buda em tudo e seu verdadeiro ser nele. O universo será visto em uma flor e a
eternidade em um sorriso momentâneo.

Ven. Mestre Hsing Yun [Trechos do livro Lotus in a Stream] Hsing Yun é o 48o. Patriarca da Linhagem Lin Chi(Rinzai) do Budismo Ch'an e fundador do Monastério de Fo Guang Shan em Taiwan.

Sem comentários: