29 setembro, 2002

Já tivemos a boa fortuna de nascer com um corpo precioso, então, não devemos desperdiçar nosso tempo à toa. Agora que sabemos qual é a coisa mais importante no Budismo, como podemos ficar satisfeitos com o mundo transitório? Nossos corpos são como o orvalho sobre a relva, e nossas vidas como o clarão de um raio, que desaparece num instante.
FUKANZAZENGI - Regras universais do Zazen-Manual de meditação do mestre Eihei Dogen - Jp. 1200 - 1253 dC]
[Monja Coen]

Sem comentários: