15 setembro, 2002

Experimente esse exercício: Atenção Plena

Vc. está andando na calçada, então vc. determina:
vou até aquela placa, porta, árvore... sem pensar em nada.
Comece com distâncias pequenas e vá aumentando.
Não é fácil, mas treinando assim se consegue algum resultado.
Se não der certo tente um mantra: MU, OM, serve, e fique repetindo
respirando e inspirando, pelo menos bloqueia
a tagarelice habitual.
Preste atenção, vc. não vai ficar andando como um zumbi no meio da rua.
Melhor começar em casa, e depois ir ampliando para outros ambientes.
Não olhe para os lados, olhe apenas para frente, no ângulo do
horizonte a sua frente. Se olhar para as pessoas, carros, etc, não repita
mentalmente o nome das coisas: carro, criança, cachorro. Apenas olhe sem pensar sobre elas.
Não fique fazendo julgamentos: que lindo, que feio, frio, quente,...
Vc. pode ir aprimorando esse exercício. Pode expandi-lo para outras
situações. Tente olhar uma revista ou jornal, ver TV, novela, etc sem julgar os
fatos, apenas observar, sem ruminar sobre o que vc. vê ou ouve ou lê. Vá tentando
nas situações mais corriqueiras:comer, tomar banho, abrir e fechar a porta.
Quando o telefone toca, não pense quem pode ser, apenas atenda o telefone!
Com o tempo acaba funcionando.
Ah! Preste atenção ao atravessar a rua, estar atento não significa se desligar da
realidade a sua volta. Vc. a percebe, mas não a controla o tempo todo, como se
sua mente fosse o senhor do tempo e do espaço.
Não se trata de levar isso a ferro e fogo. É apenas uma prática. Ninguém fica sem pensar e
sem julgar o tempo todo!
Se pratica-la de forma correta, sem excessos e sem apego, vc. não vai ficar insensível, frio, ou
alienado, muito pelo contrário. Não vai ficar menos ou mais, vai passar a filtrar os pensamentos, sentimentos e
situações e decidir entre deixar passar, o que e quanto, ou não.

Sem comentários: