24 julho, 2002

O Último Sermão de Buda
continua...

2.Os Preceitos são a fonte da Libertação.
Dos Preceitos saem os diversos estados de meditação
e a sabedoria que leva à cessação do sofrimento.
Por isso, ó monges, guardai os Preceitos
e esforçai-vos para jamais violá-los.
Se conseguirdes guardar bem os Preceitos, disso resultará a
Boa Lei. Se não conseguirdes guardar bem os Preceitos,
não aparecerão os méritos decorrentes da prática das boas ações.
Por isso, deveis compreender que nos
Preceitos está a Suprema Tranqüilidade e o Supremo Mérito.
Ó monges, vós permaneceis na prática dos Preceitos.
Por isso, deveis disciplinar vossos cinco sentidos,
jamais permitindo o surgimento dos cinco
desejos (desejo de se alimentar, desejo de dormir, desejo sexual,
desejo de obter fortuna e desejo de conseguir honrarias e fama).
Assim como um pastor domina o gado com seu cajado,
não permitindo que os animais invadam as plantações,
deveis guardar a máxima vigilância. Abandonar os cinco
sentidos ao sabor de seus caprichos
é como deixar um cavalo indômito sem rédeas.
Tal cavalo arrasta as pessoas e as derruba dentro de buracos.
O prejuízo causado por um cavalo indômito atinge apenas o presente,
mas o causado pelos cinco sentidos atinge inclusive o futuro.
Por isso, deveis evitá-lo. O sábio vigia
seus cinco sentidos como a um ladrão;
jamais se descuida deles. Mesmo
que se descuide por um instante, logo readquire o controle.
A mente é senhora dos cinco sentidos.
Por isso deveis disciplinar vossa mente.
A mente é mais perigosa que uma cobra venenosa,
uma fera ou um salteador.
É como uma pessoa que, entretida com o mel que transporta em
Suas mãos, não enxerga um buraco e cai nele.
Se deixardes vossa mente entregue a
si mesma, perdereis as boas coisas.
Se a vigiardes, tudo correrá bem.
Por isso, ó monges, deveis vos esforçar e dominar vossa mente.

Sem comentários: