05 junho, 2002

Metta Sutta Amor Bondade Dhamma

Isto é o que deve ser feito por aquele que é hábil nos seus propósitos,
que quer progredir para o estado de paz:
Ser capaz, correto e sincero,
fácil de ser instruído, gentil e sem arrogância,
satisfeito e fácil de ser sustentado,
com poucas obrigações, vivendo de maneira simples,
com as faculdades em paz, um mestre,
modesto, e sem cobiça por patrocinadores.
Não faça a menor coisa
que os sábios possam depois censurar.
Pense: Feliz, em paz,
que todos os seres sejam verdadeiramente felizes.
Todos os seres que existam,
fracos ou fortes, sem exceção,
compridos, grandes,
médios, curtos,
sutis, grosseiros,
visíveis e invisíveis,
próximos e distantes,
nascidos e buscando o nascimento:
que todos os seres sejam verdadeiramente felizes.
Não permita que um engane ao outro
ou despreze qualquer um, em qualquer lugar,
ou devido à raiva ou irritação
deseje que alguém sofra.
Como uma mãe arriscaria sua vida
para proteger o seu filho, seu único filho,
da mesma forma, com relação a todos os seres,
cultive um coração sem limites.
Com boa vontade para todo o universo,
cultive um coração sem limites:
Acima, abaixo e em toda volta,
desobstruído, sem hostilidade ou ódio.
Quer seja parado, andando,
sentado, ou deitado,
esteja alerta todo o tempo,
mantenha essa atenção plena com determinação.
A isto se denomina um estado sublime
no aqui e agora.
Não seja aprisionado por idéias,
mas virtuoso e perfeito na visão,
tendo subjugado o desejo pelo prazer sensual,
ele nunca mais
irá estar em um útero.

[Sutta Nipata I.8 Karaniya]





Sem comentários: