16 junho, 2002

As Transformações Começam Conosco


Monja Coen

Há um antigo ditado japonês:

"Se houver relacionamento, faço; se não houver relacionamento, saio".

Um Mestre Zen, no final do século passado, fez a seguinte alteração:

"Havendo relacionamento, faço; não havendo, crio relacionamento".

Para descobrirmos novas maneiras precisamos, primeiramente
desenvolver a capacidade de perceber como
estão nossos relacionamentos atuais.
Observe e considere meticulosamente a si mesmo.
Perceba como está se relacionando
em casa, na rua, no trabalho, no lazer.
Perceba como respira, como anda, como toca nos objetos, como usa sua voz,
como são seus gestos e como são seus pensamentos e os não pensamentos.
Esse observar não deve ser limitante, constrangedor, confinador.
Apenas observe. Como você se relaciona com o meio ambiente,
biodiversidade, reciclagem, justiça social, melhor
qualidade de vida, guerras, violência, terror, paz,
harmonia, respeito, garantia dos Direitos Humanos?
Como você e o seu logos se relacionam entre si e em relação
aos projetos de sucesso, de lucro, de desenvolvimento
e progresso de sua organização.
Como está se relacionando com o mais íntimo de si mesmo,
com a essência da Vida, com o Sagrado?
Será que é capaz de ver, ouvir, sentir e perceber
a rede de inter relacionamentos
de que é feita a vida? Percebe e leva em consideração,
na tomada de decisões, a interdependência?

Mahatma Gandhi disse:

"Temos de ser a transformação que queremos no mundo".

Qual o primeiro passo?

Conhecer a si mesmo. Conhecer nossos mecanismos.
O que nos afeta, nos incomoda? O que nos alegra? O que nos irrita?
Como transformar a raiva em compaixão?
Como transformar o desafio em competição leal, justa,
empreendedora, enriquecedora? Sem nos preocuparmos com os créditos,
se formos capazes de fazer o bem, não fazer o mal,
fazer o bem aos outros estaremos transformando nossos lares,
nossas amizades, nosso ambiente de trabalho, nossas organizações,
nossas cidades, estados, países, nações, mundo... e a nós mesmos...

"Estudar o Caminho de Buda é estudar a si mesmo.
Estudar a si mesmo é esquecer-se de si mesmo.
Esquecer-se de si mesmo é ser iluminado por tudo que existe.
Transcender corpo e mente seu e dos outros.
Nenhum traço de iluminação permanece e a Iluminação
é colocada à disposição de todos os seres
."

[Mestre Zen Eihei Dogen - 1200-1253]

Sem comentários: