30 maio, 2002

1. Mantendo a Mente Bodhi

Primeiramente você deve ter a firme decisão de atingir a iluminação e ajudar os outros. Você já tem os cinco ou dez preceitos. Saiba quando mantê-los e quando quebrá-los, quando eles estão abertos e quando eles estão fechados. Deixe ir embora seu pequeno "eu" e torne-se "eu" verdadeiro.

Na Natureza original
Não existe isso ou aquilo
O Grande Espelho Redondo
Não tem gostos ou aversões.

2. Mindfulness

Não se atenha a suas opiniões. Não discuta sua visão particular com os outros. Ater-se e defender suas opiniões é destruir sua prática. Afaste todas suas opiniões. Isso é verdadeiro Budismo.
Não vá onde não deve. Não escute conversa dos outros.
Não faça o mau karma do desejo, raiva ou ignorância.

Se nessa vida
Você não abrir sua mente,
Você não pode digerir
Nem uma gota d'água.

3. Sobre a conduta

Sempre aja em grupo. Não se sobressaia agindo de maneira diferente. Não se permite arrogância no templo.
Dinheiro e sexo são como uma serpente venenosa. "Mande longe" suas idéias sobre essas coisas.
Na sala de dharma caminhe sempre atrás daqueles sentados em meditação. Nas palestras e cerimônias, mantenha a postura correta e roupas certas. Não fale nem ria alto na sala de dharma.
Se você tem negócios fora do templo que vão fazer você se ausentar em refeições ou cerimônias, notifique um dos ajudantes do templo antes de sair.
Respeite os mais velhos. Ame os jovens. Mantenha a cabeça aberta.
Se você encontrar doentes, ame-os e ajude-os.
Seja hospitaleiro com a visitas. Faça-as sentirem-se benvindas e preste atenção às necessidades delas.
Quando pessoas respeitáveis visitarem o templo, faça-lhes mesura e converse com consideração.
Seja cortês. Deixe os outros passar.
Ajude os outros.
Não seja farsante.
Não faça fofoca.
Não use sapatos e casacos dos outros.
Não se aferre às escrituras.
Não durma demais.
Não seja frívolo.
Dê assento aos mais velhos e mais importantes.
Não discuta com as visitas aspectos irrelevantes internos ao templo.
Quando fora, fale bem do templo com os outros.
Beber demais ou ser desejoso vão causar mau karma e destruir sua prática. Você deve ser forte e pensar corretamente. Então esses desejos não podem tentá-lo.
Não se iluda pensando ser uma pessoa grandiosa e livre. Isso não é Budismo verdadeiro.
Cuide de si mesmo. Não julgue os outros.
Não faça o mau karma de matar, roubar ou ser desejoso.

Originalmente não há coisa alguma.
Mas Buda praticou imóvel sob a árvore Bodhi durante seis anos.
E Bodhidharma sentou-se silenciosamente em Sorim.
Se você puder derrubar a barreira de seu ser,
Você se tornará infinito em tempo e espaço.

4. Quanto à fala

Sua má língua vai levá-lo à ruina. Abra a boca somente quando necessário.
Sempre fale bem, à maneira de um bodhisattva. Não utilize linguagem vulgar no templo.
Não faça o mau karma de mentir, exagerar, causar confusão e amaldiçoar ou outros.
Se você se deparar com duas pessoas brigando, não atice com palavras. Em vez disso fale gentilmente para acalmar os ânimos.

Uma vez um homem falou erroneamente e renasceu
como raposa por 500 gerações. Depois de ouvir
a fala correta ele abandonou o corpo de raposa.
O que é fala correta e errada?
Se você abrir a boca, lhe bato 30 vezes.
Se você fechar a boca, ainda assim lhe bato 30 vezes.
Ouça com atenção o enunciado do kong-an e não o esqueça.
O cachorro está latindo: au, au, au!
O gato está miando: miau, miau, miau.

5. Ao Comer

Um eminente professor disse: "Um dia sem trabalhar é um dia sem comer".
Existem dois tipos de trabalho: o trabalho interno e o externo. O trabalho interno é manter a mente clara. O trabalho externo é cortar os desejos egoístas e ajudar os outros.
Primeiramente trabalhe, depois coma.
Coma em silêncio. Não faça barulho desnecessário.
Quando comer, cuide de si mesmo. Não se preocupe com o que os outros fazem.
Aceite com gratidão o que é servido. Não se atenha a seus gostos e aversões.
Não busque satisfação na comida. Coma somente para mantê-lo em sua prática.
Embora você possa comer por toda vida, seu corpo vai morrer.

O Grande Caminho não é difícil,
simplesmente corte o pensamento que classifica como bom ou ruim.
Sal é salgado.
Açúcar é doce.

6. Na prática formal.

Durante a prática formal aja com os outros.
Não seja preguiçoso.
Durante os cânticos, siga o ritmo do moktak.
Durante o sentar, siga o sinal do chugpi.
Perceba o verdadeiro significado de cantar e sentar e aja de acordo.
Entenda que você acumulou montanhas de mau karma. Mantenha isso em mente durante as prostrações de arrependimento.
Nosso karma não tem natureza própria, é criado por nossa mente. Se nossa mente se extingue, nosso karma se extingue. Quando percebemos que ambos são vazios, temos o verdadeiro arrependimento.
Fazemos reverências para ver nossa natureza verdadeira e ajudar os outros.

Ao gritar no vale
Um grande grito: um grande eco.
Um pequeno grito: um pequeno eco.

7. Sobre a palestra de dharma.

Quando ouvir as palavras do mestre, mantenha sua mente clara. Não se apegue às palavras. Corte qualquer pensamento e capte o verdadeiro sentido da fala.
Não pense que você já entendeu muito e não precisa dessa palestra; isso é ilusão.
Se você tem alguma pergunta, apresente-a ao mestre ao final da palestra.
Se uma serpente bebe água, a água se torna veneno. Se uma vaca bebe água, a água se torna leite.
Se você se atém à ignorância, você faz vida e morte. Se você mantiver a clareza, você se torna buda.

No grande trabalho de vida e morte, o tempo não vai esperar você.
Se você morrer amanhã, que tipo de corpo vai obter?
Não é isso de grande importância?
Se apresse! Depressa!
Céu azul e verde mar
São a face original de Buda.
O som da cachoeira e o cântico dos pássoros
são os grandes sutras.
Para onde você vai?
Olhe onde pisa.
A água corre para o mar.
As nuvens sobem aos céus.


Sem comentários: