22 abril, 2002

Destino, Livre-arbítrio e Carma


Essa visão de Carma como Destino me parece uma visão mais hinduísta . Vc. certamente já ouviu alguém falando a expressão: “Deve ser o meu carma”, talvez até já tenha dito isso. Buda deu um upgrade, atualizada, nesse conceito.
Se vc. tem livre-arbítrio, ele anula o destino?

Concordo, mas acredito mais em destino na visão budista, em carma que não é destino e sim marca, mancha, macula. Vc. suja a sua calça, então vc. pode escolher ou vc. continua usando a calça suja ou vc. lava ela e a continua usando limpa. Isso se vc. tem consciência que a calça tá suja. Na maioria das vezes andamos por ai com a calça suja e nem percebemos, mas um dia vamos lavar a calça de qualquer jeito e ela ficará limpa, por que aprendemos que é assim que tem que ser. O grande click disso é vc. perceber o tempo todo que está suja, ou perceber no momento que sujou e tentar limpar imediatamente, impedindo que outra e outra sujeira se acumule sobre, o que tornará o processo de limpar mais penoso, demorado. Vc. pode limpar as sujeirinhas que vão se acumulando. Vc. vai fazendo outras e vai limpando. É um ciclo que só acaba quando limpamos tudo e não sujamos mais nada.

Se não há escolha não há livre-arbítrio?

Não, carma tb. é escolha. Só existe carma por que escolhemos isso ao invés daquilo, já a idéia de destino é pessimista justamente por que temos que aceitar que é destino e não tem escolha.
Nascemos ou melhor renascemos, é tudo um continum: se vc. não consegue limpar seu carma nessa vida , ele vai com vc. para a próxima e a próxima, mas se vc. desperta e toma consciência de qual é o teu carma e de que a todo momento vc, pode e tem o livre arbítrio de mudá-lo, vc. pode minimizar seu carma trazido de outras vidas e evitar aumenta-lo nessa vida, purificando-o com boas ações.

Você já tem consciência do teu carma?

De algumas coisas sim, pelo menos do que é mais recente, mas de um carma mais profundo, acho que não,
mesmo porque ainda não procurei pensar nisso, mas agora que me perguntou vou acionar o Sherlock que existe em mim e ver se acho algo.

Como se tem consciência do nosso carma?

Treinando a Atenção Plena e praticando na meditação, nos tornando melhores por que queremos não
por vaidade ou exibicionismo, ajudando as pessoas, tendo compaixão de todos os seres. Mas sobre tudo
vivendo no momento, aqui e agora é que conseguimos perceber nosso carma acontecendo, podemos olhar para ele e pára-lo, podemos vê-lo passar diante de nós, podemos vê-lo chegando e escolher entre deixa-lo vir ou anula-lo antes. A prática da atenção plena é um poderoso instrumento para derrotar a maquininha de fazer carma. Vc. pensa antes e decide se vai fazer ou não. Vc. pensa isso é certo e se vc. ouve um sim vc. faz, se vc. ouve um não vc. não faz. Se vc. não ouve nada, melhor não fazer. É um exercício que exige muito treino: prestar atenção às nossas ações, pensamentos, emoções, como reagimos ao ouvir algo, ao ler algo, ao pensar algo, ao fazer algo. O que pensamos e porque pensamos de determinada maneira.

Mas isso é um policiamento ostensivo.

Acho que é mas não é no sentido de se privar disso ou daquilo, mesmo porque não conseguimos ter
controle sobre nossos pensamentos, sentimentos, atos o tempo todo. Muita coisa nos foge e só conseguimos observar e nos perguntar algo depois. Muitas coisas nos distraem, nos seduzem,
nos arrastam para a desatenção. Entre meditar e ver a novela dos oito, o que vc. escolhe?

Sem comentários: